Bombeiros pedem cancelamento de show de Roberto Carlos
Show do cantor Roberto Carlos acontece na inauguração da arena de shows do novo estádio do Pacaembu, na Zona Oeste de SP. — Foto: Montagem/g1/Reprodução/Redes Sociais

Do G1

O Corpo de Bombeiros protocolou nesta quinta-feira (18) um pedido para que a Prefeitura de São Paulo cancele a apresentação do cantor Roberto Carlos na inauguração do espaço de shows da chamada Mercado Livre Arena Pacaembu, na Zona Oeste, na noite desta sexta (19).

A apresentação do rei está marcada para acontecer no espaço localizado no 2° subsolo da arena do antigo estádio, concedido para a Concessionária Allegra Pacaembu pela gestão Bruno Covas (PSDB), por 35 anos.

Mas o local – chamado de Mercado Pago Hall – ainda está em obras e, segundo os Bombeiros, não tem condições de receber as cerca de 3 mil pessoas que devem comparecer a inauguração do lugar.

“É importante salientar que a edificação onde ocorrerá o evento não possuí licença vigente do Corpo de Bombeiros. (…) Caso o evento ocorra, será em total revelia ao Corpo de Bombeiros. Ademais, conforme processo de fiscalização, a edificação foi advertida em 18 de abril por não possuir licença, conforme a lei. Sendo assim, solicito a essa secretaria adoção de medidas pertinentes a evitar a realização do evento em desacordo com a legislação”, afirmou o documento assinado pelo Coronel Comandante do Corpo de Bombeiros, Alexandre Merlin.

No pedido enviado à Secretaria Municipal de Urbanismo e Licenciamento (SMUL), os bombeiros informaram que o espaço Mercado Pago Hall apresenta 18 irregularidades na edificação que será inaugurada nesta sexta (19).

Veja também:   Cobrança: Governo do Estado recebe críticas na CMST por atraso de obras em Serra Talhada

Entre elas, rotas de fuga obstruídas em caso de incêndio, sistema de hidrantes despressurizado, falta de instalação de sistema central de alarme de incêndio, chuveiros anti-incêndio e portas corta fogo desinstalados, entre outras irregularidades (veja documento abaixo).

O que diz a concessionária do estádio

Por meio de nota, a concessionária Allegra Pacaembu informou que a realização do show de Roberto Carlos está mantida, apesar dos apontamentos dos bombeiros.

A empresa alega que tem uma autorização da Prefeitura de SP para a realização do espetáculo.

“A realização do show, hoje, atenderá a todas as normas vigentes na cidade e oferecerá as condições de conforto e segurança necessárias para uma experiência de alta qualidade ao público que comparecer à Mercado Livre Arena Pacaembu. O evento cumprirá ainda todas as condições estabelecidas pela Prefeitura de São Paulo no despacho que AUTORIZA a realização do evento”, disse.

“A respeito do ofício do Corpo de Bombeiros a concessionária informa que dará todas as respostas necessárias à corporação demonstrando que cumpre a legislação para um evento em local temporário”, declarou a Alegra.

Veja também:   Bombeiros socorrem idoso com sintomas de Covid-19, no bairro Caxixola, em Serra Talhada

O g1 procurou a SMUL mas não recebeu retorno até a última atualização desta reportagem.

Nas redes sociais, a Allegra Pacaembu classifica o evento, marcado para 21h, como uma “experiência em construção” e diz que o público terá “o privilégio de vivenciar um spoiler do que o futuro reserva para o espaço”.

Histórico de problemas

Desde o início das obras, a reforma do chamado ‘Novo Pacaembu’ tem sofrido com uma série de problemas e atrasos pro parte da concessionária que arrematou o espaço por 35 anos.

O estádio tinha previsão de ser entregue revitalizado em outubro de 2023, mas a finalização foi sendo adiada várias vezes.

A última data prometida foi para 25 de janeiro de 2024, quando aconteceria no local a final da Copa São Paulo de Futebol Júnior, a Copinha, mas o evento não pode acontecer no local, em virtude de novo atraso na reforma.

“Nós falhamos ao criar essas expectativas. Temos total responsabilidade em tudo isso que foi criado em torno da realização da Copinha. Eu acho que no final desse primeiro semestre, final de junho, começo de julho nós já estamos aptos para receber o futebol no Pacaembu”, afirma Eduardo Barella, Ceo da Allegra.

Veja também:   Bombeiros capturam mais uma cobra em ST

Naquela ocasião [março], a Allegra tinha começado a colocar a grama sintética no campo e ao menos 70% do local já estava ocupado pelo novo gramado. Foram investidos R$ 6,5 milhões no campo, com a previsão de que ele receba jogos ainda neste primeiro semestre.

Segundo a administração do estádio, o material para compor a grama foi importado de Portugal e dos Estados Unidos. Uma das três camadas da grama é feita com um composto de cortiça, um material que se adapta melhor às altas temperaturas brasileiras.

O novo Pacaembu já deveria estar pronto. Quando o site da prefeitura anunciou o começo das obras, em junho de 2021, a entrega estava prevista para outubro de 2023. No início do ano, o SP2 visitou o local, e Eduardo Barella, presidente da Allegra, garantiu que tudo estava no prazo.

“Nós estamos cumprindo à risca tudo aquilo que é preconizado dentro do contrato de concessão. Esses planos já foram entregues para a prefeitura”, disse Barella em janeiro dste ano.

No entanto, nesse dia, a empresa já tinha remarcado a inauguração para 25 de janeiro de 2024, data que foi confirmada em junho, numa reunião no Tribunal de Contas do Município.