Do G1

Primeiro-ministro britânico prometeu mais restrições no país após o aumento nos números de novos casos da Covid-19 e o surgimento de uma variante mais infecciosa; escolas poderão permanecer fechadas.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, disse nesta segunda-feira (4) que vai impor restrições “mais duras” na Inglaterra para conter o avanço das infecções por coronavírus no país. Ele disse também que escolas podem não reabrir neste mês.

Os casos de Covid-19 aumentaram drasticamente nas últimas semanas, impulsionados por uma nova variante do vírus que é mais transmissível. O Reino Unido registrou domingo (3) quase 55 mil novos casos confirmados de coronavírus.

Até o momento, desde o início da pandemia, mais de 75 mil pessoas morreram na Grã-Bretanha por complicações da Covid-19 – essa é a segunda maior taxa de mortalidade na Europa.

Ao visitar um hospital para acompanhar as primeiras pessoas tomando a vacina feita pela Universidade de Oxford e AstraZeneca, Johnson disse que o país enfrentará “semanas duras”.

“Se você olhar os números, não há dúvida de que teremos que tomar medidas mais duras e as anunciaremos no devido tempo. Temos o vírus realmente em alta”, afirmou Johnson.

A Inglaterra está atualmente dividida em quatro níveis de restrições, dependendo da prevalência do vírus. A maioria do país está nos níveis 3 e 4, onde a convivência social é restrita e restaurantes e bares estão fechados.

O secretário de Saúde, Matt Hancock, disse anteriormente que as regras do nível 3 claramente não estavam funcionando. Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte têm suas próprias restrições rígidas.

Veja também:   Desfiles temáticos da Pet Ker revolucionam mercado em ST