Da Folha de PE

Um brasileiro de apenas cinco anos é o mais novo integrante da seleta lista de pessoas com os mais altos Quociente de Inteligência (QI) do mundo. Theo Costa Ribeiro foi submetido a um teste de seis dias e fez 146 pontos, equivalendo a 99,8% da avaliação. Ele se tornou a pessoa mais nova do Brasil a ingressar no Mensa Internacional, um clube seleto para pessoas que possuem QI elevado.

Moradora de São Paulo, a família só percebeu que o garoto possuía uma inteligência acima da média com o retorno das aulas presenciais. “A gente sempre achou que ele era espertinho, bonitinho, prestava atenção em tudo, mas pensávamos ser [essa impressão] coisa de pais mesmo. Como ele ficou fora da escola durante a pandemia e é nosso primeiro filho, não tínhamos como avaliar. Começamos a perceber quando ele voltou para a escola. Porque ele lia e escrevia com bastante domínio em comparação aos amigos”, contou Ygor Tazinaffo Ribeiro, pai de Theo.

Incentivados pelo colégio, os pais do garoto procuraram uma neuropsicóloga para aplicar um teste de QI. “Ela avaliou não apenas se ele conseguia resolver problemas, mas a comunicação, como ele lida com frustrações e rejeições, raciocínio lógico, entre outras coisas”, explicou Ygor, revelando que a criança passava cerca de uma hora e meia por dia para concluir os desafios. O resultado do teste comprovou que, mesmo com apenas 5 anos, Theo tem a capacidade intelectual de uma pessoa de 15 anos.

Carta dentro do baralho

Após a descoberta da intelectualidade do filho, os pais de Theo procuraram o PhD neurocientista e mestre em psicologia Fabiano de Abreu Agrela, que tem em seu currículo a assessoria de outros prodígios como Gustavo Saldanha, Laura Büchele e Romeu Gutvilen, todos eles membros da Mensa.

Veja também:   Fim da Lei Seca? STF decide sobre modificações na legislação

“Ele é muito inteligente e fez um teste que é muito raro. Conheço poucos que fizeram esses testes [feitos por Theo]. Para mim, é o mais completo. Você pode ser bom na lógica, mas pode não ser bom em outras áreas. O teste vai te dizer no que você é bom no geral”, explicou Agrela. Para o acadêmico, a pontuação conquistada pelo menino poderá elevar suas aptidões em qualquer área de interesse, como se fosse um coringa, do baralho, Theo deverá se sair bem em qualquer segmento que escolher.

O futuro a Theo pertence

Mesmo tendo conseguido avançar uma série e cursar o 2º ano do ensino fundamental, a trajetória em território nacional não teria o mesmo atalho da estrangeira. No Brasil, segundo Agrela, o Ministério da Educação (MEC) não permite o avanço de mais de duas séries, mesmo com resultados significativos de testes de QI. “Eu prefiro que ele avance nas séries do que vá para uma escola caríssima. Ele é autodidata. No Brasil, ele não vai conseguir avançar o que precisa”.

O neurocientista também comentou que uma frequente pergunta dos pais é sobre as experiências da infância, conquistadas com o desenvolvimento social escolar e se, ao empurrar um jovem para séries muito acima da sua faixa etária, elas seriam perdidas no processo. Mas para isso, o PhD tem resposta pronta. “Deixa ele ter contato com pessoas que tenham a mesma linha de raciocínio dele. Ele pode ser criança fora da escola”, afirmou.

Apesar da empolgação, os pais do menino preferem pensar no futuro com cautela.“Ele ainda é uma criança. Mesmo que você compare ele com a idade de 15 anos, não sei se alguém com 15 anos pode decidir a vida sozinho. A nossa intenção é garantir que ele se torne uma pessoa íntegra, uma pessoa feliz. O que ele decidir fazer vamos apoiar e amá-lo de forma igual. Nosso objetivo é formar uma boa pessoinha”, comentou Ygor, explicando que, por conta disso, prefere esperar um pouco antes de pensar em uma grande virada.

Veja também:   Varíola dos macacos: o que se sabe sobre rara infecção

Enquanto os pais não decidem sobre a mudança escolar de Theo, o garoto conseguiu uma bolsa de estudos para a Logos University, na Flórida, Estados Unidos. Ainda de acordo com o neurocientista, a intenção é aguardar um pouco mais e conseguir bolsas em universidades como Harvard e Oxford.

Crianças prodígio
Theo também não é a primeira criança brasileira nem o mais jovem integrante a fazer parte da lista. Em novembro do ano passado, Gustavo Saldanha, de 8 anos, foi o brasileiro mais novo aprovado pela Mensa Internacional, com uma pontuação de 140 pontos ou 99,6 percentual. No quesito idade, em julho de 2021, a pequena estadunidense Kashe Quest, de três anos, também marcou 146 pontos. Ela foi considerada o membro mais jovem da academia.

Classificações da tabela do QI

Gênio – acima de 144 pontos
Superdotado – de 130 a 144 pontos
Acima da média – de 115 a 129 pontos
Média alta – de 100 a 114 pontos
Média baixa – de 85 a 99 pontos
Abaixo da média – de 70 a 84 pontos
Baixo – de 55 a 69 pontos
Muito baixo – menos de 55 pontos.