Calor extremo castigou 1.075 cidades brasileiras em 2024
Foto: Vinícius Schmidt/Metrópoles

Por Metrópoles

Nos primeiros meses deste ano, 1.075 cidades foram colocadas em “alerta vermelho” — portanto, de grande perigo — por causa dos riscos associados às ondas de calor que atingiram o Brasil.

A informação provém de levantamento do Metrópoles, com base em alertas emitidos pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Os dados foram atualizados até março deste ano.

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão pelo WhatsApp (clique aqui)

As notificações de grande perigo relacionadas às ondas de calor atingiram cinco estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Entram na lista as seguintes unidades da Federação: Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo.

Veja também:   Viih Tube revela que foi estuprada e que convive com estuprador até hoje

Veja a quantidade de cidades alertadas por estado:

  • Mato Grosso do Sul: 70 cidades (88,6%);
  • Paraná: 371 cidades (93%);
  • Rio Grande do Sul: 81 cidades (16,3%);
  • Santa Catarina: 155 cidades (74,1%);
  • São Paulo: 398 cidades (61,7%).

Um alerta vermelho referente à onda de calor consiste no aumento da temperatura em 5°C acima da média, durante período maior do que cinco dias, oferecendo risco à saúde.

Vale destacar que o Inmet emite alertas para outros fenômenos meteorológicos, como acumulados de chuva, ondas de frio e vendavais. Levantamento do Metrópoles mostrou que 88% das cidades do Brasil tiveram alertas de perigo relacionados a chuvas em janeiro deste ano.

Veja também:   Sem creche, pesquisa analisa vida das mães da UFRPE em ST

Os principais fatos de Serra Talhada e região no Farol de Notícias pelo Instagram (clique aqui)

A única capital sob alerta vermelho de onda de calor foi Campo Grande (MS), entre 14 e 18 de março deste ano. No mesmo período, a cidade de Jardim (MS) chegou a bater os 39,3°C, enquanto Três Lagoas (MS) registrou 39,2°C. Neste caso, a onda de calor teve relação com bloqueio atmosférico que impediu o avanço de frentes frias, fenômeno associado ao El Niño.

Tendo em vista os riscos associados às ondas de calor, o Ministério da Saúde reforça a necessidade de cuidados diante dos riscos de insolação, queimadura e desidratação.

Veja também:   Médico fala após denúncia de paciente em ST

Outros tipos de alerta

Nesse período, o Inmet também emitiu alerta laranja (perigo) para cerca de 2,3 mil municípios brasileiros, bem como amarelo (perigo potencial) a outros 2,2 mil.

Quando a situação persiste de dois a três dias consecutivos, o Inmet emite alerta de perigo potencial — ou seja, aviso amarelo.

Já quando há a persistência desse padrão de três a cinco dias consecutivos, o instituto emite alerta de perigo (laranja). Quando ocorre por mais de cinco dias, tem-se um alerta de grande perigo, portanto, vermelho.