A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB – seccional Serra Talhada) vai acompanhar o caso da menor M.C., de 7 anos, que foi estuprada há cerca de dois meses, por um pregador de uma igreja evangélica do bairro do Ipsep.

O presidente da entidade, Esterfeson Nogueira, designou o advogado Lúcio Renato Vasconcelos – presidente da comissão dos Direitos da Criança e do Adolescente – para agilizar o processo na Justiça.

Na manhã dessa terça-feira (15), a costureira Josimá  Antunes, mãe da menor, denunciou o fato ao FAROL, que chocou a Capital do Xaxado. O pregador está foragido e dona Josimá clama por uma ação eficaz da Justiça de Serra Talhada. “Isto não pode ficar impune”, disse Josimar Antunes.

“A determinação do presidente da OAB, nos designou para o caso, e de total apoio a dona Josimar. Estupro de vulnerável é grave. Inclusive, com pena de reclusão de 8 a 15 anos. Vamos até o fim com este caso que é chocante”, disse Lúcio Renato. A mãe diz não entender, porque a Justiça ainda não se pronunciou sobre o episódio e por isso resolveu procurar o FAROL.

Veja também:   Quadrilhas dão show em concurso em ST