Da CNN

Foto: Richard Grange/Barcroft India/Getty Images

O chefe da maior família do mundo morreu na Índia, segundo o diretor do hospital onde foi tratado.

Ziona, que atendia apenas pelo primeiro nome, morreu no último domingo (13) aos 76 anos.

Ele tinha 38 esposas e 89 filhos, de acordo com um tweet de Zoramthanga, o ministro-chefe de Mizoram, o estado do nordeste da Índia onde Ziona vivia.

O patriarca pertencia a uma seita cristã que promove a poligamia como vontade de Deus. Seu pai, Chana, fundou a seita na aldeia Baktwang de Mizoram, onde a vasta família de Ziona mora em uma única propriedade.

A poligamia é ilegal na Índia de acordo com o código penal do país. Há uma exceção no código para muçulmanos, embora não seja amplamente usada.

Não está claro se Ziona, que se casou com sua primeira esposa aos 17 anos, era legalmente casado com todas as mulheres que ele descreveu como suas esposas. As autoridades indianas geralmente não processam comunidades tribais por poligamia.

Lalrintluanga Jahau, político e diretor do hospital onde Ziona morreu, disse que ele foi levado ao pronto-socorro do hospital.

“Nossa equipe de emergência tentou em vão ressuscitá-lo”, escreveu Jahau no Twitter .

Zoramthanga disse que a presença da família transformou a vila de Baktwang em uma “grande atração turística no estado”.

Ele acrescentou no Twitter: “Descanse em Paz, Senhor!”

“Acredito que Deus nos escolheu para sermos assim (para ter famílias grandes)”, disse Ziona à CNN em 2011.

“Aqueles que nascem nesta família não querem deixar esta tradição, então continuamos crescendo e crescendo.”

Ele acrescentou: “Eu nunca quis me casar, mas esse é o caminho que Deus escolheu para mim. Não é meu desejo continuar casando-me continuamente.”