Mulher com Cadáver em Agência Bancária - Foto: Reprodução / Metrópoles
Mulher com Cadáver em Agência Bancária – Foto: Reprodução / Metrópoles

Do Metrópoles

A defesa de Érika de Souza Vieira Nunes, presa na terça-feira (16/4) por levar um cadáver para pedir empréstimo, em Bangu, na zona oeste do Rio de Janeiro, afirma que o idoso “chegou vivo” à agência bancária.

O caso viralizou nas redes sociais na noite dessa terça. A Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro (PCERJ) prendeu a mulher em flagrante. Ela foi autuada por tentativa de furto mediante fraude e vilipêndio de cadáver.

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão pelo WhatsApp (clique aqui)

Érika alega que Paulo Roberto Braga, de 68 anos, era tio dela. No momento, a polícia investiga se ela teria tentado fazer empréstimo de R$ 17 mil em nome do morto.

Veja também:   Turistas são arrastados por ondas na Praia do Diabo

“O senhor Paulo chegou à unidade bancária vivo. Existem testemunhas que, no momento oportuno, também serão ouvidas. Ele começou a passar mal e depois teve todos esses trâmites. Tudo isso vai ser esclarecido, e acreditamos na inocência da senhora Erika”, declarou a advogada Ana Carla de Souza Correa ao G1.

Em nota, a PCERJ afirmou que corpo do idoso será examinado no Instituto Médico Legal (IML) de Campo Grande, “a fim de apurar as circunstâncias da morte”.

O caso
Funcionários do banco suspeitaram da situação, começaram a filmar o episódio, e, na sequência, acabaram ligando tanto para a polícia quanto para o serviço de assistência médica.

Veja também:   Criminosos fazem mais de 30 passageiros reféns e realizam assalto no Rio de Janeiro

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) constatou que o idoso estava morto há algumas horas. Em uma das imagens divulgadas, Érika aparece segurando a cabeça de Paulo e conversando com ele.