Do Diario de Pernambuco 

Foto: Amanda Perobelli/Reuters

A vacina enviada será a Coronavac, do laboratório Sinovac, que também é produzida em São Paulo em parceria com o Instituto Butantan.

O primeiro-ministro do Camboja, Hun Sen, anunciou na sexta-feira (15) que a China doará um milhão de vacinas contra a Covid-19 produzidas pelo laboratório Sinovac, a Coronavac.

“Nossa amiga China nos ajudará com um milhão de doses”, disse o Hun Sen em uma mensagem de áudio publicada em sua página do Facebook, de acordo com a agência France Presse.

“Para evitar que a nação e o povo se infectem com este vírus mortal, devemos usar as vacinas que já foram administradas nos líderes chineses e em milhões de pessoas (…). Não podemos esperar mais tempo”, acrescentou.

Os primeiros a receber as injeções doadas serão os trabalhadores da saúde de linha de frente, assim como professores, soldados, guarda-costas do primeiro-ministro e os funcionários da comitiva do rei, explicou o primeiro ministro.

O Camboja é há muito tempo um aliado de Pequim e recebeu bilhões de dólares em empréstimos e investimentos da China.

Eficácia de mais de 50%

A Coronavac está sendo testada na China, Turquia, Indonésia e Brasil. Por aqui, ela foi desenvolvida em parceria com o Instituto Butantan, em São Paulo.

Nos testes brasileiros, a vacina registrou 50,38% de eficácia global. A porcentagem indica a capacidade do imunizante de proteger contra a Covid-19 em todos os casos – sejam eles leves, moderados ou graves. Já para casos sintomáticos leves, a vacina tem eficácia de 78%.

Os dados dos testes brasileiros da Coronavac foram apresentados pela Sinovac à Organização Mundial da Saúde na quinta-feira (14) para pedir certificação internacional da vacina.