Da Folha de PE

As autoridades chinesas ordenaram o confinamento de 1,7 milhão de pessoas na província de Anhui (leste), onde foram registrados 300 novos casos de Covid-19 nesta segunda-feira.

A China é a última grande economia que mantém uma estratégia rígida contra o coronavírus, baseada em quarentenas e testes obrigatórios.

O surto de Anhui, onde as autoridades detectaram centenas de casos na semana passada, acontece no momento em que a economia chinesa começa a se recuperar de um confinamento de meses em Xangai e de restrições severas na capital, Pequim.

Dois condados da província – Sixian e Lingbi – anunciaram o confinamento de mais de 1,7 milhão de pessoas, que só podem sair de casa para passar por exames.

Veja também:   Anne Heche tem morte cerebral declarada e deixa cinco filmes inéditos

Imagens do canal estatal CCTV mostraram as ruas vazias em Sixian no fim de semana e pessoas em filas para a sexta operação de testes em larga escala nos últimos dias.

A província registrou 287 novas infecções na segunda-feira, incluindo 258 pessoas assintomáticas, segundo a Comissão Nacional de Saúde da China, o que eleva o total de casos detectados a pouco mais de 1.000.

A província vizinha de Jiangsu registrou 56 novos casos em quatro cidades nesta segunda-feira.

Embora os casos permaneçam reduzidos em relação à enorme população da China, as autoridades insistem que a política de “covid zero” é necessária para evitar uma calamidade nos serviços de saúde.