Do G1 Mundo

Foto: Mark Schiefelbein/AP

A capital da China e uma grande parte do norte do país foram envolvidos nesta segunda-feira (15) pela pior tempestade de areia em uma década, forçando o cancelamento de centenas de voos.

Arranha-céus no centro de Pequim “sumiram” de vista em meio à poeira e à areia, e mais de 400 voos saindo dos dois principais aeroportos da cidade foram cancelados devidos aos ventos fortes e à baixa visibilidade.

O Centro Meteorológico Nacional diz que a tempestade se desenvolveu no deserto de Gobi, na região da Mongólia Interior, e é a mais intensa em dez anos e também a que ocupa a maior área.

O centro prevê que a areia e a poeira devem afetar 12 províncias, da região de Xinjiang, no extremo noroeste, a Heilongjiang, no extremo nordeste, e chegar até a cidade portuária Tianjin, perto de Pequim, na costa oriental do país (veja no mapa abaixo).

Essas tempestades de areia costumavam ocorrer regularmente na primavera, quando a areia dos desertos ocidentais sopram para o leste, afetando até no norte do Japão.

O plantio maciço de árvores e arbustos reduziu os efeitos em outras partes do país nos últimos anos, mas a expansão das cidades e de indústrias, junto com a mineração a céu aberto e a pecuária, colocam uma pressão constante sobre o meio ambiente em toda a China.

Com uma mistura de deserto e estepe relvada, a Mongólia Interior é particularmente propensa a climas extremos resultantes da exploração de recursos.