Ciganos ganharão memorial em antigo campo de concentração

Foto: Reprodução/Redes sociais

Por Metrópoles

 

A primeira-ministra da França, Élisabeth Borne, anunciou a construção de um memorial em homenagem aos povos ciganos perseguidos durante a Segunda Guerra Mundial. O monumento ficará no antigo campo de concentração de Montreuil-Bellay.

O comunicado ocorreu durante uma coletiva, realizada nesta segunda-feira (30/1), na qual o governo apresentou um plano contra o racismo, o anti-semitismo e a discriminação de povos ciganos.

Em especial, aos ciganos, que sofrem repressão histórica. Historiadores estimam que entre 220 mil e 500 mil ciganos foram assassinados durante a 2ª Guerra Mundial.

Veja também:   MOBILIDADE: STTrans vai interferir numas das principais avenidas de Serra Talhada

“É uma luta que nos une pela igualdade de oportunidades. Uma luta pela República e pelos valores da França”, disse a primeira-ministra.

Avec les associations et tous les acteurs engagés, le Gouvernement est pleinement mobilisé contre le racisme, l’antisémitisme et les discriminations.

 

C’est un combat qui nous rassemble pour l’égalité des chances.
Un combat pour la République et les valeurs de la France. pic.twitter.com/EZJM3HzfwX

— Élisabeth BORNE (@Elisabeth_Borne) January 30, 2023

 

O “Plano Nacional de Combate ao Racismo, Antissemitismo e Discriminação Relacionada à Origem 2023-2026” é uma cartilha com 80 medidas contra autores dos crimes de ódio contra ciganos e outras comunidades, formulada em conjunto com diversos ministérios da França.

Veja também:   PROCESSO SELETIVO: Aumentam reclamações de candidatos contra a Prefeitura de ST

A ministra da Igualdade entre Mulheres e Homens, Diversidade e Igualdade de Oportunidades, Isabelle Rome, afirmou que as autoridades da França vão “acionar uma máquina judicial implacável contra os autores desses atos”.

“É nosso dever ser intratáveis com aqueles que jogam impunemente com o ódio racista e anti-semita. O ódio matou, ainda mata”, declarou Isabelle no Twitter.