IMG_0422-607x404Secult PE/ Costa Neto

Serra Talhada começa a destacar-se dentro do cenário do cinema pernambucano. O longa-metragem “O Gigantesco Imã” foi premiado como o melhor longa-metragem no 8º Festival de Cinema de Triunfo. A obra foi dirigida pelo serratalhadense Petrônio e seu parceiro Tiago Scorza, de Petrolina. “O Gigantesco Imã” conta toda a engenhosidade e astúcia do inventor Evangelista Ignácio, e vai estreou na última quinta-feira (6) no festival. Petrônio acreditava que o seu filme tinha chances de ser premiado e vê o festival como uma alternativa para a manifestação da arte audiovisual no Sertão do Pajeú. O longa metragem estreia ainda esse mês na Capital do Xaxado.

 Em conversa com o FAROL, o diretor comenta com orgulho o reconhecimento do longa. “Sem falsa modéstia, posso dizer que o prêmio foi digno porque o filme é consistente tanto no tema quanto na forma. Além do que serve de estímulo para a realização audiovisual no sertão do Pajeú. Eu não criei expectativas, mas sabia que tinha chance”, afirma. O filme  irá estrear em Serra Talhada dia 28 de agosto, no Centro Dramático Pajeú. Serão exibidos também os curtas-metragens “Papo Amarelo”, de Anildomá Willians e “O som da Luz do Trovão”, também de Petrônio, que segundo ele foi o curta que deu origem ao Gigantesco Imã.
Falando sobre o festival, Petrônio reflete a formação do público para o cinema-arte e o legado que o evento tem criado a nível nacional. “O festival de cinema de Triunfo se afirma com o evento mais sólido do audiovisual no sertão pernambucano. O festival que está criando tradição e atraindo realizadores de todo o Brasil. É um espaço importante para formar público para o cinema brasileiro que está mais vivo do que nunca e uma alternativa de imagem e som bem distante da imprensa tendenciosa e das teledramaturgias viciadas, se o país não possui TV aberta de qualidade de conteúdo, possui um cinema vigoroso e pluri-temático”, avalia Petrônio.
Veja também:   Bin Laden deixou milhões em herança para jihad, apontam documentos