Foto: Max Rodrigues

Publicado às 17h desta quinta (2)

O radialista e pastor evangélico Marquinhos Dantas, que foi candidato a prefeito de Serra Talhada, nas eleições do ano passado, não escondeu a sua preocupação diante o acirramento da polarização entre petistas e bolsonaristas. Durante entrevista ao programa Falando Francamente, na TV Farol, nesta quinta-feira (2), ele analisou a conjuntural eleitoral e se disse preocupado com as discussões políticas em Serra Talhada, que já começou nas redes sociais.

“Eu já vinha, há um ano, comentando em alguns grupos. Por exemplo, grupo da família, tem gente que já não se fala mais em grupo de WhatsApp, tem gente que saiu do grupo, tem gente que bloqueou um parente, um irmão, porque não concorda com a linha política do outros. Mas, tenho visto recentemente, em alguns grupos que me colocaram e eu tenho ficado por ali para ver algumas coisas é que já começaram as discussões e nas discussões você não está mais agredindo o projeto, o candidato, mas se agredindo, isso já está ficando uma coisa normal”, refletiu.

Nessa quarta (1), Dantas lançou um vídeo de quatro minutos alertando que a disputa entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-presidente Lula, pode terminar em pancadaria. “Quando eu disse no vídeo: não acredito que Lula vai tentar alguma coisa contra Bolsonaro, nem Bolsonaro contra Lula na questão pessoal, na questão física, mas os alienados, eu faço questão de lembrar, não são os aliados porque os aliados defendem o projeto do candidato, mas os alienados são aqueles que ficam cegos e o camarada pode está fazendo alguma coisa errada, mas é o dele, é o que está sustentando os empregos deles, é o que está mantendo ele ali que vai defender com unhas e dentes, independente de qualquer coisa. Isso pode se acirrar a nível nacional? Pode! Já tem discussões em Serra Talhada, eu não estou falando aqui que vai ter agressões físicas, pode não chegar, mas que corre o risco corre”.

Veja também:   Assombrações e mistérios de uma 'Sexta-feira 13' em ST

VEJA A ENTREVISTA DE MARQUINHOS DANTAS NA TV FAROL

 

PAPEL DO CRISTÃO NA POLÍTICA

Ainda durante a entrevista, Marquinhos Dantas fez questão de frisar que todo e qualquer cristão tem um compromisso com a palavra de Deus, e alertou que provocações não devem ser aceitas. “Vamos para a bíblia, a bíblia diz que a boca fala do que está cheio o coração e quando alguém, para defender o candidato’ a ou b’ agride a pessoa: ”você é eleitor dele porque você é isso também igual a ele. Você é eleitor dele porque você é sem futuro igual a ele.” Aí começam a agressão, a discussão. De início, a pessoa sai do grupo, mas depois vão se encontrar e é preocupante. Estou falando aqui como um homem de Deus, como cristão. O papel do cristão, no meio político, a bíblia diz que devemos orar pelas autoridades constituídas, quando se ver um camarada esculhambando, fazendo chacota, caluniando, difamando uma autoridade esse camarada não é cristão, não é nosso papel como cristão fazer isso”.

IRMÃO FAZ ATAQUES

Um momento delicado da entrevista foi quando um leitor provocou Dantas citando que ele tem um irmão, que passa o tempos nas redes sociais defendendo Bolsonaro e atacando adversários. Emocionando e com os olhos cheiro de lágrimas, ele lamentou. “Já falei muito com ele e não sou ouvido, Não quer tomar vacina, já apelei, mas não consegui. É irmão, é sangue, eu sinto muito”. Segundo Dantas, em Serra Talhada pode haver agressões físicas. “Estou vendo nos detalhes e nos grupos, especificamente de WhatsApp, e nas conversas, que às vezes a gente escuta nas ruas é que pode sim surgir agressão física porque o camarada não se ver sendo desrespeitado por causa de candidato, mas o nome dele e isso pode realmente se desmanchar numa agressão física”, finalizou.

Veja também:   Mais de 1.300 pessoas podem perder a tarifa social em ST