Apreensão de cocaína seria suficiente para abastecer um país por 30 anosDo Diario de PE

A polícia da Nova Zelândia declarou, nesta quarta-feira (8/2), que confiscou 3,2 toneladas de cocaína que flutuava no oceano Pacífico, uma quantidade suficiente para satisfazer a demanda dessa droga no país durante “trinta anos”.

O chefe da polícia da Nova Zelândia, Andrew Coster, disse que os 81 pacotes de cocaína pesavam 3,2 toneladas e tinham um valor de mercado de cerca de 316 milhões de dólares (294 milhões de euros).

“Esta é a maior descoberta de drogas ilícitas já feita pelos serviços da Nova Zelândia”, disse ele.

Veja também:   Ônibus brasileiro com 50 passageiros tomba na Argentina, jornais já consideram duas mortes

As autoridades acreditam que a cocaína, presa a uma rede e coberta com rolhas amarelas, foi colocada em um “ponto de trânsito flutuante” no oceano Pacífico, de onde os traficantes deveriam tê-la recuperado a caminho da Austrália.

“Pensamos que [a droga] estivesse destinada à Austrália, onde seria suficiente para alimentar o mercado por um ano”, explicou o comissário de polícia. “É mais do que a Nova Zelândia usaria em trinta anos”, acrescentou.

Um navio da Marinha interceptou os pacotes, que estavam à deriva centenas de quilômetros a noroeste da Nova Zelândia, graças a informações da aliança “Five Eyes”. Essa rede de colaboração de inteligência inclui Austrália, Estados Unidos, Canadá, Reino Unido e Nova Zelândia.

Veja também:   Coletivo Berro lança documentário com música na Concha de ST

“Não há dúvida de que esta descoberta representa um grande golpe financeiro para os produtores sul-americanos e distribuidores deste produto”, disse Coster, chamando a apreensão de um “resultado importante” para os serviços policiais da Nova Zelândia e da Austrália.

No entanto, as autoridades afirmaram que é muito cedo para determinar o local de origem da droga.