Do Diario de Pernambuco

Oito dias após definir os grupos prioritários para vacinação contra a Covid-19, o Ministério da Saúde anunciou a retirada da população carcerária da lista. Até o fim da manhã desta quarta-feira (9), contudo, não foram divulgadas quaisquer explicações a respeito da decisão.

Em 1° de dezembro, o Ministério da Saúde havia informado quais seriam os primeiros imunizados contra o novo coronavírus. O plano fora dividido em quatro etapas.
Os primeiros da lista são os profissionais de saúde, idosos com mais de 75 anos (ou moradores de asilos a partir de 60 anos) e indígenas.
Idosos entre 60 e 74 anos são o segundo grupo prioritário. Portadores de doenças crônicas vêm logo após.
Seriam vacinados, depois, os trabalhadores da área da segurança — policiais e funcionários do sistema prisional —, e a população carcerária, agora fora da lista de prioridade.
O Ministério da Saúde foi procurado, mas ainda não se manifestou.
Veja também:   4º suspeito pelo assassinato se entrega e é preso em SP