Decisão do PT pode transformar Márcia em opositora de RaquelPublicado às 05h18 deste domingo (30)

Não é segredo para ninguém a relação de amizade e cordialidade existente entre a prefeita de Serra Talhada, Márcia Conrado (PT), e a governadora Raquel Lyra, do PSDB.

A relação se enraizou, principalmente no segundo turno das eleições passada, quando a prefeita petista não seguiu a orientação partidária, deixando de apoiar a então deputada federal Marília Arraes. Então, após a eleição de Raquel, o cenário é de ‘céu de brigadeiro’ entre as duas.

Mas, se depender do senador Humberto Costa (PT), isso tende a ser coisa do passado, e a prefeita poderá ter que fazer, por decisão partidária, oposição a Lyra. Durante entrevista a Rádio Folha FM, Costa sinalizou que o caminho natural do PT, em Pernambuco, será trilhar na oposição.

Veja também:   Saiba quem entra e quem sai da Câmara de ST

“O eleitorado de Pernambuco nos colocou nessa condição. Nós apresentamos uma candidatura no 1º turno, com Danilo Cabral, perdemos. Apoiamos uma candidatura no 2º turno, com Marília Arraes, perdemos. Então, naturalmente, isso já nos coloca no campo da oposição”, disse Humberto Costa, evidenciando, também, que Raquel  Lyra tem privilegiado forças consideradas mais à direita, como o Partido Progressistas e o Partido Liberal, e observou que nas relações e decisões administrativas com movimentos sociais e sindicatos existem mais contradições do que apoios.