Casas com problemas estruturais foram condenadas pela Defesa Civil (Foto: Reprodução/TV Asa Branca)Imóveis do programa do governo federal “Minha Casa, Minha Vida” foram condenadas pela Defesa Civil de Catende, na Mata Sul de Pernambuco. Na quadra 5 do condomínio residencial Alto da Jaqueira, as residências apresentam problemas estruturais: rachaduras nas paredes e calçadas, portas cedendo e piso desnivelado.

Pelo menos 12 casas já foram comprometidas por “erro de engenharia”, segundo a Defesa Civil. Ainda há famílias morando em 11 destes imóveis. O conjunto habitacional tem 983 casas – a obra, entregue há quase dois anos, foi orçada em R$ 41 milhões.

Por meio de nota, a Caixa Econômica Federal informou que não pode apontar culpados e que medidas serão tomadas depois da análise de documentos. O banco afirmou que no residencial há 41 unidades invadidas e que estão sob processo judicial de reintegração de posse.

Se essa casa cede com a gente dormindo?”
Alexsandra da Silva, moradora

O aposentado Márcio Roberto da Silva disse que está com medo de ficar na casa. “A gente fica sem saber o que fazer”, disse. Já a dona de casa Alexsandra da Silva, classificou a situação como preocupante. “Quando chove a gente nem consegue dormir. Se tem essas casas, é porque a gente precisa. Agora não tem como sair, porque não tem para onde ir. Está tudo rachando. Quando chove entra água pelas paredes. Se essa casa cede com a gente dormindo?”, afirmou a moradora em entrevista à TV Asa Branca.

Veja também:   Navio com 609 pessoas a bordo é isolado no Recife

A Defesa Civil do município orientou os moradores da quadra 5 a deixarem os imóveis. O relatório do órgão aponta que as casas foram construídas em cima de um aterro.

O coordenador da Defesa Civil municipal, Paulo Ricardo Lins, disse que “o resultado da análise que foi feito juntamente com a Codecipe [Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco]. Após o levantamento de áreas de riscos, que fazemos periodicamente, foi constatado que a quadra 5 está totalmente comprometida por má compactação do solo. Foi erro de engenharia mesmo”.

Veja também:   Prefeitura de Serra emite nota vaga com desculpas sobre saúde

Segundo ele, o solo da quadra está cedendo. “Ela está movimentando o solo, encharcando com as fortes chuvas e colocando os moradores em situação de risco. Já foi feita a documentação necessária, administrativamente por parte do município e do estado e enviado para a Caixa”. Ricardo Lins afirmou que as rachaduras são cada vez mais visíveis e que não há local para alocar as pessoas.

Responsáveis notificados
A Caixa Econômica Federal informou também que notificou a prefeitura de Catende, a construtora responsável pela obra e a Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) entre os dias 18 e 20 de abril, para que apresentem as manifestações sobre os relatórios.

Veja também:   No Centro de ST, nem as câmeras de segurança escapam

Do G1 PE