Delegado diz que crimes de família ainda são atuais em STPublicado às 17h41 desta quarta-feira (8)

Um cenário que deveria estar superado historicamente, e que acabou marcando Serra Talhada sob o signo de uma terra de vingança em defesa da honra, ainda é muito atual.

Nesta quarta (8), o delegado regional de Polícia Civil, Olegário Filho, em entrevista ao Frequência Democrática, na rádio Vilabela FM, revelou, durante o balanço dos 31 homicídios registrados em 2017 até agora, que os assassinatos pelo que se chama de “questão de família” persistem no município.

Veja também:   PM cerca casa em ST após disparos em via pública

“Infelizmente, temos crimes por questão, às vezes, de família, questão envolvendo criminalidade também… Mas cada caso é um caso e todos eles estão sendo apurados. Até o momento, estamos fechando 18 casos de homicídios concluídos com autoria e remetidos à Justiça. Então, o trabalho da Polícia Civil continua sendo feito”, garantiu.

Apesar dos números serem alarmantes, de acordo com Olegário Filho, houve uma redução de mais 24% na quantidade de homicídios em comparação com o mesmo período do ano passado em Serra Talhada.

Veja também:   Servidores em ST falam de salários atrasados

“E vários crimes já foram enviados à Justiça com autoria e com prisão, sendo outros com mandado de prisão expedido mas com autores foragidos e a gente vai dando continuidade”, disse o delegado Olegário Filho, reforçando:

“Então, na maioria dos crimes registrados em Serra Talhada são estes: por vingança e por envolvimento em atividade criminosa”. Ele também enfatizou que o município registrou três assassinatos de mulheres, sendo dois tipificados como feminicídios.