Do JC

 

Dois amigos de 48 anos, turistas do Sudeste, foram arrastados pela correnteza e morreram após afogamento na praia do Cupe, perto de Porto de Galinhas, em Ipojuca, Grande Recife, nesta sexta-feira (22).

Os dois entraram no mar por volta das 17h30, quando já tinha se encerrado o turno dos guarda-vidas, junto a dois adolescentes de 12 e 13 anos, que são primos.

De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura de Ipojuca, a parte da praia onde ocorreu o afogamento é imprópria para banho, e há avisos de perigo.

Os dois adolescentes conseguiram sair sozinhos do mar e teriam relatado que olharam para trás e não conseguiram mais enxergar os adultos.

O Corpo de Bombeiros e guarda-vidas foram acionados e contaram com a ajuda de um helicóptero da Secretaria de Defesa Social (SDS) e refletores na busca pelas vítimas.

Um corpo apareceu por volta das 18h, devolvido pelo mar. O outro homem foi resgatado às 19h53 e chegou a ser levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Porto de Galinhas, onde faleceu.

Veja também:   Arábia Saudita condena estudante por criar conta no Twitter

Os dois adolescentes e os dois adultos integravam um grupo de amigos e familiares de Minas Gerais e São Paulo hospedado em um resort à beira-mar na praia do Cupe.

 

Mortes por afogamento em Ipojuca

Em agosto de 2021, uma turista de 38 anos, de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, morreu após se afogar na praia de Porto de Galinhas. De acordo com a prefeitura da cidade, a mulher entrou no mar em uma área onde há sinalizações do risco de afogamento.

No mês de novembro de 2016, dois turistas argentinos, de 60 e de 83 anos, morreram após afogamento na praia de Merepe.

 

O que disse a Prefeitura

Por meio de nota, a Prefeitura de Ipojuca lamentou a morte dos dois turistas. Veja o texto completo:

Veja também:   Tentativa de assalto termina com um preso e outro ferido no Pajeú

“É com profundo pesar que confirmamos que, nesta sexta-feira (22/07/22), dois homens: Marcelo Dionísio da Silva e Aldo Barros Alves, ambos de 48 anos, faleceram na praia do Cupe, vítimas de afogamento.

Vindos de São Paulo e Minas Gerais, eles estavam hospedados com a família em um dos resorts do litoral ipojucano e, após às 17h, quando o turno dos salva-vidas já havia encerrado, entraram no mar exatamente no local sinalizado com bandeiras vermelhas indicando a proibição para banho e o risco de afogamento.

Eles estavam na companhia de dois sobrinhos pré-adolescentes de 12 e 13 anos que conseguiram nadar e sair da correnteza.

O grupamento de Salva-Vidas foi acionado pelo resort aproximadamente às 17h45 e o primeiro a ser encontrado, já sem vida, foi Marcelo Dionisio. Já Aldo Barros Alves foi encontrado às 19h50, chegando a ser reanimado pelos salva-vidas, bombeiros e equipe de resgate do resort e levado em estado grave para a UPA de Porto de Galinhas, mas, infelizmente, não resistiu.

Participaram das buscas, do resgate e dos primeiros socorros: os salva-vidas com apoio de quadriciclos, caminhonetes, botes infláveis de resgate, jet-sky e helicóptero, além de guardas municipais, Bombeiro e SDS do Estado.

A Prefeitura do Ipojuca, mais uma vez, presta condolências as famílias das vítimas e reforça a importância de que os banhistas, sejam eles turistas ou moradores, respeitem a sinalização presente nos trechos em que existem bandeiras vermelhas indicando a proibição para banho por risco de afogamento.

A Prefeitura também ressalta a importância de acatar as orientações dos salva-vidas que, estão de prontidão das 8h às 17h, em 12 postos instalados nos pricipais pontos de risco da praia.