Duquinho revela bastidores e opina sobre racha em ST

Foto: Farol de Noticias / Licca Lima

O ex-vice-Prefeito de Serra Talhada, João Duque Filho, Duquinho, esteve na bancada do programa Falando Francamente, na TV Farol, nesta segunda-feira (8), e abriu o coração no quesito político. Ele é pré-candidato a vereador pelo Avante, de Sebastião Oliveira, e está pronto para arregaçar às mangas para reeleger a prefeita Márcia Conrado.

Por cerca de 40 minutos, João Duque Filho falou de projetos, caso seja eleito vereador, justificou a adesão ao grupo de Márcia, e não se alterou, por exemplo, quando telespectadores insinuaram que ele mantinha uma disputa com o seu irmão, o deputado Luciano Duque. Ele foi veemente ao rebater esta tese, revelando, inclusive, que tentou unir Sebastião Oliveira e Duque.

Veja também:   Duque anuncia fechamento de equipamentos e demissões em ST

Ao ser provocado sobre o racha entre Márcia Conrado e Luciano Duque, Duquinho foi direto ao ponto.

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão pelo WhatsApp (clique aqui)

“A minha opinião é que nunca tivesse acontecido uma cisão  entre Luciano e Márcia. O que aconteceu entre eles não sei e nem interessa a gente. Passado é passado. Infelizmente aconteceu. Ele foi reconhecido nas urnas como deputado estadual, com excelente votação, tanto em Serra Talhada quanto fora. Entrou na história como o deputado mais votado aqui em Serra Talhada. Fez um bom trabalho como prefeito. Ele tem uma cumplicidade, uma parceria com quem votou nele como deputado estadual”, disse o pré-candidato, afirmando que não conversa sobre política com o irmão há bastante tempo.

Veja também:   Em ST, Duque e Sebastião trocam elogios em público

“Ele (Luciano) deve ter um desejo, ele não conversa comigo. A gente não conversa desde agosto sobre isso [política]. Quando tentei que viesse fazer uma aliança com Sebastião, no momento não deu certo. Eu acredito que ele deve ao eleitorado dele que o colocou como deputado estadual. Se é o desejo dele voltar a prefeitura de Serra Talhada, dê mais um tempo, um espaçozinho mais a frente”, sugeriu Duquinho, apresentando nomes que poderiam entrar na disputa.

“Ele tem uma pessoa excelente que é Miguel, meu sobrinho, inteligentíssimo, advogado. Ronaldo de Dja também, um grande político e outras pessoas mais que devem existir no grupo político dele. Realmente, eu não estou sabendo se ele vai ser ou não vai ser [pré-candidato]. É um desejo íntimo dele de voltar a gerir Serra Talhada que é uma grande cidade do interior do estado. Mas acredito que não seria o momento”.

Veja também:   Duque diz por que não fará Réveillon e admite pagamento de R$ 10 milhões em dívidas
CONFIRA A ENTREVISTA COMPLETA