Do Diario de PE

Editores de alguns dos principais jornais do mundo publicaram uma carta, nesta quinta-feira (9/6), dirigida ao presidente Jair Bolsonaro (PL) em que cobram respostas sobre o desaparecimento do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista Bruno Araújo Pereira, no Vale do Javari, no Amazonas. Os dois desapareceram no domingo (5/6).

Na carta, os editores cobram mais esforços do governo federal para encontrar o jornalista e o indigenista. “Estamos agora muito preocupados com os relatos do Brasil de que os esforços de busca e resgate até agora têm recursos mínimos, com as autoridades nacionais demorando a oferecer assistência”, diz trecho.

O texto é assinado pela editora-chefe do The Guardian, Katharine Viner; a editora executiva do The Washington Post, Sally Buzbee; o editor executivo do The New York Times, Dean Baquet; o editor-chefe da Folha de S.Paulo, Sérgio Dávila; vice-presidente sênior de notícias e diretor editorial da NPR, Nancy Barnes; e pelo editor-chefe da Bloomberg News, John Micklethwait. Chefes e representantes de outros 25 veículos e organizações de comunicação e jornalismo também assinaram o documento.

Na carta, os editores cobram mais esforços do governo federal para encontrar o jornalista e o indigenista. “Estamos agora muito preocupados com os relatos do Brasil de que os esforços de busca e resgate até agora têm recursos mínimos, com as autoridades nacionais demorando a oferecer assistência”, diz trecho.

O texto é assinado pela editora-chefe do The Guardian, Katharine Viner; a editora executiva do The Washington Post, Sally Buzbee; o editor executivo do The New York Times, Dean Baquet; o editor-chefe da Folha de S.Paulo, Sérgio Dávila; vice-presidente sênior de notícias e diretor editorial da NPR, Nancy Barnes; e pelo editor-chefe da Bloomberg News, John Micklethwait. Chefes e representantes de outros 25 veículos e organizações de comunicação e jornalismo também assinaram o documento.

Veja também:   Atriz global Marilu Bueno morre aos 82 anos

Um protesto também foi registrado na Califórnia, onde ocorre a Cúpula das Américas. O presidente Jair Bolsonaro (PL) desembarca nesta quinta no país para participar do encontro de líderes. Um caminhão com a mensagem: Onde estão Dom e Bruno e Mentiroso na cidade, com uma foto de Bolsonaro, foi colocado em frente a prefeitura de Los Angeles, na Califórnia.

Nesta quarta, o ator norte-americano Mark Ruffalo, interprete do Huck nos cinemas, também usou as redes sociais para cobrar respostas sobre o sumiço. “É preciso haver uma resposta internacional a isso. A tendência de jornalistas serem atacados, mortos ou desaparecidos em “democracias” que se desviam para a direita deve ser denunciada”, disse.

Desaparecimento

As buscas pelos dois continuam nesta quinta-feira. A equipe conta com, aproximadamente, 150 militares do Exército e de um helicóptero. A Funai também ajuda nas buscas com 15 servidores. A Força-tarefa também conta com militares da Marinha do Brasil.

Nesta quarta, a Justiça Federal determinou que a União reforce as buscas com helicópteros, embarcações e equipes de buscas.

O jornalista e o indigenista desapareceram enquanto viajavam da comunidade de São Rafael para Atalaia do Norte. Um trajeto de cerca de duas horas. Nesta quarta, um homem foi preso suspeito de envolvimento com o desaparecimento. Ele nega participação.