Foto: Reprodução Revista Fórum

Publicado às 06h40 deste domingo (1)

Por Giovanni Sá, editor-geral do Farol

Estamos quase no meio do ano e eis que surge mais um escândalo no governo Jair Bolsonaro, o ‘sacrossanto’. Logo ele, o mito, que defenestrou o Centrão, e agora dá ‘leitinho’ na boquinha, e até Viagra, se necessário. Claro, se o Exército Brasileiro é movido a Viagra, com suspeita de superfaturamento, pago com dinheiro público, os ‘coitadinhos’ dos deputados ‘necessitados’ também são filhos de Deus e querem erguer o mastro varonil.

Segundo a Revista Fórum, As Forças Armadas compraram 11,2 milhões de comprimidos de Viagra, medicação para disfunção erétil, durante o governo do presidente Jair Bolsonaro (PL), militar reformado. Os números impressionantes superam de longe os 35 mil que foram revelados inicialmente pelo deputado federal Elias Vaz (PSB-GO), que agora quer a convocação do ministro da Defesa, general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, para explicar a compra massiva de Viagra.

O deputado identificou dez empenhos, entre 2019 a 2022. O valor pode chegar a R$ 33,5 milhões. É espantoso o esforço insano do presidente da República, para tornar as Forças Armadas eretas. Acho que já chegamos ao estágio de vício, e caso o Brasil entre em uma confusão, a tropa só vai para o campo de batalha se tomar Viagra.

Enquanto isto, na base da pirâmide, não há remédio que mexa com a auto-estima do trabalhador, que neste 1º de Maio não tem nada para comemorar. Inflação de dois dígitos, conta de luz mais cara, desemprego, fome, carestia, e outros males. O caminho está cada vez mais sem saída, mas ainda bem que vivemos numa democracia. Pelo menos, por enquanto. Bom domingo para todos!

Veja também:   Correria, fogo e ameaça de explosão em escola de ST