Escritor celebra a memória do primeiro fotógrafo do Farol

Publicado às 09h48 deste sábado (5)

Por Adelmo Santos, Poeta e escritor, ex-presidente da Academia Serra-talhadense de Letras    

Alejandro Garcia, em cada clique uma história, uma crônica e uma poesia. Sem precisar de caneta, todo dia ele escrevia, através da sua máquina, batendo fotografia.

Ele escolheu Serra Talhada para viver no sertão e a cidade o adotou como um filho de coração. E através de suas lentes o fotógrafo argentino com sotaque diferente, foi mostrando a cidade para o povo e sua gente.

Tudo que estava escondido ele acabou descobrindo e para a memória da cidade ele foi contribuindo. No livro “Histórias Perdidas” ele mostrou para as pessoas que a cidade escondia um tesouro esquecido.

Veja também:   Eike Batista pagou US$ 16,5 milhões em propina ao ex-governador do Rio, dizem delatores

Escritor celebra a memória do primeiro fotógrafo do Farol

O fotógrafo argentino mostrou para o sertanejo as grutas e as veredas, a caatinga e os passarinhos com toda a sua beleza que havia nos caminhos, por conta da natureza.

E assim foi trabalhando como fotógrafo do Farol de Notícias, com muita sensibilidade ele ia vasculhando pelas ruas e pelos campos as belezas do sertão.

Fotografa a cidade e dava a sua sugestão, ele era um Argentino que vivia envolvido com os problemas do sertão. No dia 2 de agosto de 2017, o fotógrafo nos deixou, ele foi para eternidade, mas deixou o seu legado.

Veja também:   Trump será processado por receber verbas do exterior

Escritor celebra a memória do primeiro fotógrafo do Farol

Hoje está fazendo 6 anos de saudades, fotografando lá de cima as tristezas e alegrias que acontecem na cidade. Alejandro Garcia, um pacato cidadão que veio lá da Argentina para nos dar muita emoção.

Era um fotógrafo querido, dentro de Serra Talhada jamais será esquecido.

Escritor celebra a memória do primeiro fotógrafo do Farol