Fotos: Celso Garcia/Farol

Publicado às 13h37 desta segunda-feira (20)

Para muitos nordestinos, nos festejos juninos não pode faltar as comidas típicas de milho, desse modo o consumo aumenta nesse período. Para garantir fatura na mesa das famílias nesta temporada, os agricultores se preparam para a produção de milho e geralmente plantam Dia de São José, 19 de março, para consumirem e comercializarem nos centros urbanos. Em Serra Talhada, os vendedores já estão apostos no Pátio da Feira com a expectativa de alta de vendas devidos as festas que ocorrerão na região.

”A venda de milho está boa, esse ano vai dar mais preço porque o milho é pouco e as festas vão ser mais. Com muita festa e pouco milho vai passar de R$ 100 reais. A mão de milho com 50 espigas vai ser R$ 60. Todo ano eu vendo, o ano passado foi vendido 200 sacos de milho aqui e esse ano temos esperança de vender mais, uns 300 sacos de milho. Vou ficar aqui todos os dias, depois das festas, se sobrar a gente continua vendendo, se não vamos ficar até o dia 24”, disse o agricultor Francisco, 64 anos.

 

”Faz um bom tempo que vendo milho, mas vendo mais na época do São João. Esse ano, comecei a partir de hoje, as vendas estão boas, mas vai melhorar porque minha freguesia vai começar chegar agora e no começo da semana é mais fraco. As vendas sempre são boas, mas esse ano vai dar melhor, a gente tem que se animar porque vai ter festa”, afirmou José Torres, 58 anos, em conversa com o Farol.

Veja também:   Após saída de Karla Millene, governo nomeia interina na XI Geres em Serra Talhada

 

Além de conversar com Francisco e José Torres, que vendem o milho na palha, a reportagem do Farol também conversou com Paulo Vicente, 48 anos, morador do bairro Vila Bela. Paulo vende milho assado há 8 anos nas ruas do Centro de Serra Talhada e, assim como os demais, aposta no aumento nas vendas nesta temporada.

”Eu vendo todos os dias, menos no domingo, mas nesse período dar uma aumentada boa. Nos dois últimos anos as vendas caíram também pela falta de milho, esse ano tem mais, mas acredito que ainda não vai dar porque tem muita região de produção de milho não vai ter. Mas, as expectativas são boas, espero vender de 100 a 150 espigas por dia”, disse Paulo Vicente esperançoso.