Do Diario de Pernambuco
O Arcebispo de Belém (PA), Dom Alberto Taveira Corrêa, é acusado por quatro ex-seminaristas de abuso sexal. De acordo com eles, o Arcebispo teria utilizado de seu poder para realizar investidas sexuais durante encontro privados.
A Polícia Civil é a responsável por investigar as acusações e já abriu um inquérito para apurar as suspeitas contra o acusado, a pedido do Ministério Público do Pará. Em paralelo, o Vaticano também está investigando o caso.
O local de encontro onde foram realizados os abusos, segundo os ex-seminaristas, é a casa onde vive o arcebispo. A menos de um quilômetro de lá fica o escritório de Dom Alberto, a Cúria Metropolitana. É na Cúria, onde geralmente os arcebispos costumam receber os seminaristas para uma prática corriqueira, conversar sobre a vocação religiosa.
Entre o final de outubro e o início de novembro de 2020, de acordo com a reportagem do Fantástico, quatro ex-seminaristas que denunciaram os abusos durante os encontros privados com o arcebispo contaram histórias parecidas. Os jovens tinha entre os 15 e 18 anos, quando frequentaram a residência de Dom Alberto, entre 2010 e 2014.
Veja também:   Moradora se revolta com lamaçal no bairro Ipsep, em ST