Do Diario de Pernambuco

A entrega de vacinas contra a Covid aos países pobres por meio do dispositivo Covax vai sofrer um atraso devido à falta de licença de exportação da Índia, anunciou nesta quinta-feira (25) a Aliança de Vacinas Gavi, que codirige o programa internacional.

Os fornecimentos “serão atrasados pela falta de licenças de exportação para doses adicionais de vacinas (…) fabricadas pelo Serum Institute da Índia, que deveriam ser enviadas em março e abril”, informou à AFP a Aliança Gavi, que dirige, ao lado da Organização Mundial da Saúde (OMS) e da Coalizão de Inovações em Preparação para Epidemias (Cepi), o programa Covax para distribuir os fármacos aos países com menos recursos.
Os atrasos na concessão de novas licenças de exportação “se devem (…) ao aumento da demanda de vacinas” na Índia, que precisa enfrentar o atraso na vacinação e o aumento dos contágios. “Mas o Covax está negociando com o governo indiano para garantir que as entregas aconteçam o mais rápido possível”, completou o organismo.
O sistema internacional Covax deseja distribuir este ano doses a 20% da população de quase 200 países e territórios, e inclui um mecanismo de financiamento para ajudar 92 países desfavorecidos.
Segundo um acordo estabelecido entre o Gavi e o Serum Institute, o laboratório deve fornecere ao Covax doses da vacina AstraZeneca/Oxford (fabricadas na Índia) para 64 países pobres, em troca de apoio financeiro para estimular as capacidades de produção do centro indiano, informou o porta-voz do Gavi.