Família de bebê prematura passa por drama em ST e pede ajuda

Uma bela e emocionante história de vida em algumas semanas se tornou uma dor e preocupação para a família da pequena Weviny Manuela de Pádua Pereira, a primeira serra-talhadense nascida em 2024.

Em contato com o Farol de Notícias, a dona de casa Michele Pereira da Silva, de 19 anos, contou que sua situação financeira está cada vez mais difícil.

Com a energia elétrica cortada, agora está para perder o abastecimento de água devido ao acúmulo de contas. Ela recebe R$ 600 do Bolsa Família, utilizado para comprar as coisas da recém nascida.

Veja também:   Com pouco mais de um mês de governo, Milei faz primeira demissão de ministro

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão (clique aqui)

Segundo Michele, o marido é pedreiro e recebe cerca de R$ 600 por quinzena, precisa pagar pensão de relacionamentos anteriores e as contas apertaram.

“Estamos com cerca de R$ 650 em contas atrasadas. O dinheiro que eu recebo do benefício vai todinho para Weviny, ela nasceu prematura e precisa de muitos cuidados. Foi uma gravidez de risco. Estamos sem luz em casa, e a água já será cortada também”, contou a jovem, aflita:

Veja também:   Diesel e gás de cozinha devem ter alta de impostos em 2024

“Estamos na casa da minha sogra, mas sem saber o que fazer daqui para frente. Weviny precisa de fraldas, lenços e pomada para assadura. Gostaríamos de pedir a ajuda da população para sair desse aperto e poder criar nossa filha”.