Família McCann aceita fazer exame em alemã que diz ser Madeleine

Foto: Reprodução/Instagram I am Madeleine McCan

Por Portal a Tarde

 

Depois de Julia Faustyna, moradora de Bréslavia, Polônia, viralizar nas redes sociais nesta semana, afirmando que poderia ser Madeleine – uma menina de 3 anos que desapareceu em Portugal em 2007 -, a família McCann entrou em contato com a jovem para realizar o teste de DNA.

No seu Instagram, Julia publicou montagens e possíveis “evidências” de sua alegação. A menina ainda alega ter sido vítima de abuso sexual quando jovem, e aponta o pedófilo alemão Christian B., um dos principais suspeitos no caso Madeleine, como o agressor.

Julia também argumenta que tem o mesmo defeito ocular que a criança desaparecida, além de semelhanças físicas com os pais Gerry e Kate. A imprensa internacional divulgou que a família McCann está disposta a olhar todas as evidências.

Veja também:   Médico de ST grava vídeo; Exército emite nota

Em uma conversa via WhatsApp e compartilhada no perfil do Instagram “iammadeleinemccan”, a mãe de Julia disse que a garota está doente e causa vergonha à família, conforme o Diário do Nordeste.

Ainda segundo o jornal, na conversa, a mãe de Julia diz que vai vender a casa e se mudar, porque não quer mais vê-la por causa da vergonha que ela traz à família.

No print, a mãe também afirma que fotos e fitas cassete estão em algum lugar na garagem, referindo-se a supostos registros que negariam a tese sobre a jovem ser Madeleine. “Você está doente, Julia. Isso eu vou contar”, escreve a mãe, na conversa.

Veja também:   Mulher faz “jantar gourmet” para rato que vive na parede de sua casa

A conta do Instagram em que Julia afirma ser Madeleine tem mais de 220 mil seguidores. Em alguns dos posts, ela conta que começou a suspeitar que é a menina desaparecida depois de algumas declarações da avó sobre um pedófilo.

Ela também diz que tem poucas lembranças da infância e que, em 2018, foi internada em um hospital psiquiátrico, começou a fazer terapia e lidar com memórias de abusos.

Julia ainda compartilhou a foto do suspeito de ter sequestrado Madeleine e afirmou lembrar de ter sido abusada por ele. Ela também diz ter se consultado com médicos, psicólogos e especialistas, e eles podem provar que ela não tem delírios.

Veja também:   VAGAS PARA 2014: Agência do Trabalho de ST atualiza cadastro de empregos; confira

Pelos registros, Madeleine teria 19 anos atualmente, enquanto Julia tem 21. No entanto, ela justifica que uma criança sequestrada pode ter sofrido alterações nos documentos, o que explicaria a divergência.

O caso

Madeleine McCann, a Maddie, desapareceu em 3 de maio de 2007, pouco antes do seu quarto aniversário, na Praia da Luz, estância balnear da região do Algarve, em Portugal, onde passava férias com a família.

O desaparecimento deu origem a uma extraordinária campanha internacional de seus pais para tentar encontrá-la. As fotos da pequena Maddie, com seus cabelos castanhos e seus grandes olhos claros, deram a volta ao mundo.