20151027_161500

Fotos: Farol de Notícias / Manu Silva

Na tarde dessa terça-feira (27), estudantes e professores das unidades Serra Talhada, Garanhuns e Recife da UFRPE retomaram os protestos do movimento #FicaPibid contra o corte orçamentário do Governo Federal de R$ 9,7 bilhões a educação. Na Capital do Xaxado os universitários ocuparam a Praça Sérgio Magalhães para a manifestação com caráter de sala de aula. No início de julho, alunos de Licenciatura em Letras e Licenciatura em Química da Uast realizaram um ato que arrecadou cerca de mil assinaturas contra o corte de bolsas do Programa de Iniciação à Docência (Pibid). O programa federal já cortou cerca de 20 bolsas da UFRPE em Garanhuns e Recife e os universitários serra-talhadenses temem a redução da bolsa de 50% a 90% ou a extinção total do programa na cidade.

Veja também:   Pré-candidato diz que Bolsonaro é dominado pelo Centrão

O FAROL DE NOTÍCIAS registrou momentos do protesto que reuniu cerca de 100 pessoas entre professores, estudantes universitários e alunos do ensino médio do Solidônio Leite e Irnero Ignácio. De acordo com a professora Thais Ludmila Ranieri, coordenadora do Pibid Letras, o movimento #FicaPibid pede a permanência das bolsas. “A intenção é continuar brigando pela manutenção do programa e reivindicar os custeios que ainda não vieram de 2014 e 2015 que não foram repassados. Até agora na Uast não teve nenhum corte, mas na Sede e em Garanhuns teve em torno de 20 bolsas. A gente está muito preocupado com o próximo ano”, explicou a professora Thais.

Veja também:   Trump confirma pesadas tarifas a importações

No protesto os bolsistas expuseram alguns de seus trabalhos realizados nas escolas públicas, como a atividade de Mannoel Lima, bolsista desde 2013 que realizou uma oficina de trabalho corporal e leitura. “Quis através da reflexão e da leitura de um poema de Berthold Brecht e uma música de Geraldo Vandré despertar nos jovens essa carga de protesto e o valor das instituições sociais”.  Já os alunos de química realizaram experimentos realizados na escola. “São estruturas moleculares, eles podem levar para casa, pois são feitas de palitos de dentes e jujubas. Os dois outros experimentos são a torre de espuma e o sopro mágico, isso tudo é feito com eles na escola”, disse Elaine Cristina, A coordenadora do Pibid Química.

Veja também:   Médico que fez lipo na influencer Liliane é denunciado

20151027_16580120151027_16524020151027_164610 20151027_164738 20151027_165000 20151027_165730