O governo federal autorizou a atuação das Forças Armadas no Espírito Santo, informou nesta segunda-feira (6) o Ministério da Defesa. O pedido foi feito pelo governo do estado em razão da ausência de policiamento nas ruas. Desde sábado (4), protestos de familiares impedem a saída de PMs dos quarteis.

Agora, o presidente Michel Temer precisa publicar o decreto para a entrada da Forças Armadas no estado. Enquanto isso, o Ministério realiza o planejamento da ação.

No caso do Espírito Santo, o setor de operações do Ministério já está planejando como será a atuação no estado. A divulgação de mais detalhes sobre a chegada do Exército depende da área em que as tropas vão atuar, se será somente na região metropolitana ou em outras cidades.

A assessoria de imprensa do ministro da Defesa, Raul Jungmann, que está a caminho de Natal, no Rio Grande do Norte, informou que Jungmann pode chegar no Espírito à noite para acompanhar de perto a situação no estado. Ele está a caminho de Natal, no Rio Grande do Norte e possivelmente, quando acabar a agenda, deve seguir para o estado.

O secretário de Segurança Pública do Espírito Santo, André Garcia, disse que havia pedido o apoio da Força Nacional de Segurança Pública, mas a informação não foi confirmada pelo Ministério da Justiça. “Até o presente momento não temos confirmação do recebimento do pedido”, disse em nota.

Ao meio-dia, o governo do estado vai dar mais detalhes sobre a possível vinda da Força Nacional ao Espírito Santo.

‘Greve’
A greve foi decretada ilegal pela Justiça e já foi determinado que os manifestantes saiam das portas dos quartéis. No entanto, na manhã desta segunda os protestos continuavam, e a polícia ainda não estava trabalhando. As manifestações acontecem em toda a Região Metropolitana de Vitória, Guarapari, Linhares, Aracruz, Colatina e Piúma.

A falta de policiamento nas ruas vem provocando confusão e insegurança. Um ônibus foi incendiado, uma guarita da PM foi queimada e há relatos de arrastões e assaltos a lojas. A Prefeitura de Vitória suspendeu o início do ano letivo na rede municipal na manhã desta segunda-feira (6). As unidades de saúde da capital não irão funcionar, com exceção dos pronto-atendimentos da Praia do Suá e São Pedro.

Do G1 Espirito Santo