2016-12-02-photo-00000002Quatro pessoas – três homens e uma mulheres – foram presos nesta sexta-feira (2) durante a “Operação Êxodo” em Belém de Maria, na Mata Sul de Pernambuco, suspeitos de tráfico de drogas. De acordo com o delegado Francisco Caúla, eles traziam a droga de São Paulo e vendiam em pelo menos 20 cidades pernambucanas. Segundo ele, a droga era vendida de Caruaru até os municípios do litoral.

“Em apenas um carregamento, eles chegaram a trazer uma tonelada de maconha. Eles sempre traziam quantidades similares”, afirmou o delegado. O grupo fazia o transporte da droga através de caminhões. “A droga não vinha toda junta, era dividida em pequenas quantidades e transportada em vários caminhões. Eles compravam em grandes quantidades e vendiam, também, em grandes quantidades”, conforme o delegado.

Veja também:   Juiz pede desculpas a advogados em ST

A negociação da compra da droga em São Paulo era feita por um homem que estava na condicional e viajava para assinar os documentos, segundo Francisco. Ele disse que a loja de material de construção do suspeito em São Paulo está sendo investigada porque pode, segundo Caúla, estar servindo como lugar para lavagem de dinheiro.

Quando a polícia chegou à casa dos criminosos em Belém de Maria, um homem – que não teve a idade divulgada – chegou com R$ 4 mil para comprar de maconha, segundo Francisco. O suspeito foi preso junto com os outros quatro criminosos. “Eles têm ligação com o PCC [Primeiro Comando da Capital]”.

Veja também:   Aliado de Duque e ex-candidato a vereador agradece a Sebastião por atender pleito no Vila Bela

O grupo também é suspeito de dois homicídios e assaltos. “Quando alguém atrapalha o trabalho deles, a sentença é a morte, por isso a ligação com os homicídios. Sobre os assaltos, a maioria dos crimes que ocorreu nas entradas entre Caruaru e Palmares foi a mando deles”, explicou o delegado.

Eles foram autuados por tráfico, associação ao tráfico, assaltos e homicídios. Os homens foram levados ao Presídio Rorenildo da Rocha Leão, em Palmares, e a mulher para a Colônia Penal Femina Bom Pastor, em Recife.

Do G1 Petrolina