Do G1

O grupo jihadista Boko Haram reivindicou nesta terça-feira (15) a responsabilidade pelo sequestro de centenas de estudantes do ensino médio na Nigéria.

O sequestro aconteceu no dia 11 de dezembro na cidade de Katsina, no noroeste do país.

“Sou Abubakar Shekau, e nossos irmãos estão por trás do sequestro em Katsina”, anunciou em uma mensagem de voz o líder do grupo.

Ele disse que o Boko Haram também está por trás do sequestro em 2014 de mais de 200 meninas em Chibok, caso que provocou uma onda de indignação mundial.

Jihadistas são muçulmanos que consideram que a lei muçulmana deve ser imposta por meio da luta violenta.

Ao menos 333 adolescentes permanecem desaparecidos desde o ataque na sexta-feira passada.
Katsina, o local do sequestro, fica a mais de 100 quilômetros do território do Boko Haram, que atua habitualmente nas proximidades do lago Chade.

Mais de 100 homens armados, em motos, atacaram na sexta-feira à noite a escola rural na cidade de Kankara.

Centenas de adolescentes fugiram para uma floresta próxima do centro de ensino.

Influência de jihadistas no país

Inicialmente, atribui-se o crime a grupos armados comuns, que aterrorizam a população nesta região instável. Eles sequestram pessoas para obter dinheiro do resgate.

O crime da semana passada demonstra a propagação da influência dos grupos jihadistas no norte da Nigéria.

O presidente Muhammadu Buhari condenou o ataque e ordenou o reforço das medidas de segurança em todas as escolas.

Os centros de ensino foram fechados no estado de Katsina.

A segurança é frágil no norte da Nigéria desde a eleição do presidente Muhammadu Buhari em 2015, apesar de sua declaração de que a luta contra o Boko Haram seria a prioridade de seu mandato presidencial.