Duque x Márcia: Há 5 anos união e um confronto inevitável

Foto: Arquivo/Farol

Por Paulo César Gomes, Professor, escritor e historiador, colunista do Farol

Há quase cinco anos era selada a união entre o ex-prefeito Luciano Duque e a sua sucessora Márcia Conrado. Foi o dia 20 de dezembro de 2019, conforme registro do então fotógrafo Max Rodrigues/Farol. Na ocasião, Luciano transferiu a liderança do grupo para a pré-candidata Márcia Conrado, que desde então vem exercendo a posição com unha e dentes.

Tudo corria às mil maravilhas até a prefeita ser eleita e passou a ter o poder da caneta, desde então várias foram as situações de desencontro entre “criador” e “criatura”. A aliança suportou muito mais que três anos e esse ano foi anunciado pelo deputado estadual Luciano Duque, a ruptura de vez do grupo, alguns vereadores seguiram Luciano, a exemplo de Ronaldo de Deja, que inclusive foi um dos grandes a apoiadores da pré-campanha da prefeita e aparece em destaque na foto.

Veja também:   Com prisões de Eike Batista e Sérgio Cabral e novos inquéritos, Rio vira foco da Lava Jato

Tudo isso aconteceu em um momento que Márcia Conrado, a dama de ferro (principalmente quando veste azul), ‘arrastava’ para seu grupo diferentes nomes da oposição. Uma situação que se chegou a questionar se ainda existia oposição em Serra Talhada.

Porém, Luciano Duque deu novo ânimo à oposição, que passou a se reunir e apresentar nomes, mas ao mesmo tempo Duque passou a viver um dilema shakespeariano: “Ser ou não ser (candidato a prefeito). Eis a questão!”. Essa incerteza até agora é bom para Márcia, já que conseguiu manter o grupo unido, e com a possibilidade de enfrentar duas candidaturas da oposição (Ronaldo de Deja – Solidariedade) e Duquinho e Dr. Allan Pereira (Avante).

Veja também:   Bolsonaro quer impor documento a vacinados isentando Estado

Depois do que aconteceu em 2014, com a tragédia de Eduardo Campos elegendo Paulo Câmara, e em 2018, quando Lula foi preso e Bolsonaro levou uma facada, e mais recentemente com a comoção da morte do marido de Raquel Lyra, especular um resultado de uma eleição um ano antes pode se tornar um grande ‘mico’ jornalístico.

Mas se as conjunturas se mantiverem, com duas candidaturas de oposição, Márcia Conrado é reeleita com uma votação que poderá ser um pouco inferior à de Duque em 2016, 25 mil votos.

Se o confronto for Márcia Conrado e Luciano Duque o embate vai ser pesado, com um cenário que só será definido nas três últimas semanas da eleição. Isso porque a Festa de Setembro poderá diminuir a rejeição da prefeita e impulsionar a sua campanha.

Veja também:   Duque questiona adversários após ataques

Se Márcia Conrado não ‘estancar’ a rejeição popular ao seu modo de governar, Luciano pode levar a eleição na base do “Volta Luciano”, além disso, contará com os apoios Sebastião Oliveira/Waldemar Oliveira que certamente indicaram o candidato a vice.

No entanto, dizer que Márcia sairá derrotada no cenário atual é precipitado. Por isso, mais do nunca é preciso acompanhar o passo a passo das eleições, aqui no Farol de Notícias e nos Programas da TV, através desses instrumentos de comunicação você ficará bem informado sobre tudo que acontece na corrida eleitoral em Serra Talhada para o próximo ano.