Do g1 Caruaru

Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Um dos três casos suspeitos de hepatite em crianças com origem desconhecida investigados em Pernambuco foi descartado pelo governo. A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informou, nesta segunda (16), que o jovem de 14 anos, morador do Sertão, teve diagnóstico de chikungunya. As outras duas ocorrências seguem em investigação.

Em 27 de abril, diante do misterioso surto de hepatite em crianças na Europa e nos Estados Unidos (EUA), o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde de Pernambuco (Cievs-PE) emitiu nota de alerta orientando toda a rede de saúde, incluindo unidades públicas e privadas.

Por meio de nota, a Secretaria Estadual de Saúde informou que o caso do adolescente, divulgado em 10 de maio, foi descartado junto ao Ministério da Saúde.

O jovem, morador de Salgueiro, estava internado no Hospital Getúlio Vargas (HGV), na capital, e foi transferido para o Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc). Essa ocorrência foi a segunda comunicada em Pernambuco.

Ainda estão em investigação os casos de um menino de 1 ano, o primeiro comunicado em Pernambuco, e o de uma menina de 3 anos, o terceiro registro.

O menino de 1 ano, de Toritama, no Agreste, seguiu para o Hospital Mestre Vitalino (HMV), em Caruaru, na mesma região, e já recebeu alta.

A menina, de Glória do Goitá, na Zona da Mata, segue internada no Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip), no Recife, aguardando “exames complementares”.

Ainda de acordo com o governo, as “investigações dos dois casos dependem de análise laboratorial de exames das hepatites virais, agentes possivelmente relacionados a este tipo de hepatite e outras doenças, assim como as investigações epidemiológicas realizadas junto aos municípios de residência dos pacientes”.

Veja também:   Mantida a tradição das fogueiras em ST

O estado informou que se reuniu com representantes da Sociedade de Pediatria de Pernambuco (Sopepe) para discussão dos casos e definição de fluxos assistenciais e de vigilância.

As notificações de casos suspeitos devem ser feitas pelo e-mail cievspesaude@gmail.com ou pelos telefones (81) 3184-0191 e 99488-4267 (para profissionais de saúde).

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou, na terça (10), que tinham sido registrados 348 casos prováveis de uma misteriosa hepatite em 20 países.

Doença afeta especialmente as crianças e foram aceleradas as análises sobre o seu possível vínculo com o adenovírus e a infecção por Covid-19. No Brasil, pelo menos 16 casos são investigados.

Segunda maior doença infecciosa letal do mundo, atrás apenas da tuberculose, a hepatite é a inflamação do fígado.

Além de Pernambuco, foram registrados casos no Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo e Santa Catarina.

Chikungunya

Pernambuco registrou, nos quatro primeiros meses de 2022, um aumento 45,9% nas notificações de casos suspeitos de pessoas com doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, transmissor de dengue, zika e chikungunya, em comparação com o ano anterior.

O estado teve um crescimento de 77,2% dos casos suspeitos de chikungunya e de 39,3% dos de dengue no período. Das três doenças, apenas zika teve queda das notificações em comparação com 2021.