Homem atingido por aparelho em academia consegue sentar pela primeira vez

Da Folha de PE

Após ter sido atingido por um aparelho de musculação com mais de 150 kg na última sexta-feira, Regilânio da Silva Inácio, de 42 anos, passou por um procedimento cirúrgico e tem menos de 1% de chance de voltar a andar, conforme explicou o corpo médico do Hospital Santo Antônio, no Ceará. Nesta terça-feira, porém, o motorista de aplicativo conseguiu sentar pela primeira vez.

Ao Globo, Maria das Dores, irmã de Inácio, afirmou que a academia 220 FIT tem prestado “todo o suporte possível”, e que ajudou a família na cirurgia. Disse, também, que o quadro dele “não é fácil”, e que ele tem “sentido muitas dores”. Em nota, o estabelecimento disse que “de forma acidental, a máquina soltou-se” e caiu sobre o aluno. Disse, também, que o aparelho estava “em perfeito estado”.

Veja também:   Jovem de 19 anos é morto a tiros no Sertão de Pernambuco

— Os médicos contaram [a chance dele] antes da cirurgia. Se a gente ficou arrasado, imagina ele, um rapaz que trabalha, tem a vida ativa, vai para a academia, é motorista — disse a irmã. — Ele está estável, mas o quadro não é fácil. O médico disse que [as dores são] normais, porque ele passou por uma cirurgia difícil e demorada. Perdeu muito sangue — explicou Maria das Dores.

Duas imagens de raio-x recebidas pelo GLOBO da família de Regilânio demonstram o sucesso da intervenção cirúrgica. A primeira, feita antes do procedimento, revela a coluna vertebral do paciente fraturada entre as vértebras T12 (fim da parte torácica) e L1 (início da parte lombar). Já na segunda imagem é possível verificar que a coluna vertebral do paciente voltou a ficar alinhada.

Veja também:   Itália multa marcas de telefones Apple e Samsung

— O paciente está melhor, em recuperação. Já deu algumas movimentadas pelo hospital, inclusive nos corredores e banho de sol, e tem se alimentado sozinho. Está otimista, não precisa mais usar o colete — disse ao GLOBO o neurocirurgião José Correia Júnior, que participou da cirurgia. — Não temos previsão de alta ainda, mas podemos dizer que será nos próximos dias.