Idoso 93 anos com idade biológica de 30 intriga cientistas
O irlândes Richard Morgan tem 93 anos com idade biológica de um jovem de 30 – Foto: Reprodução

Do Metrópoles

Pesquisadores da Universidade de Limerick, na Irlanda, tentam entender como um homem de 93 anos pode ter idade biológica compatível com a de um jovem de 30.

O irlândes Richard Morgan começou a se exercitar aos 73 anos e o remo indoor se tornou sua grande paixão. Desde então, o ex-operário remou o equivalente a 10 vezes a distância para dar a volta ao redor do mundo e venceu quatro campeonatos mundiais.

“Há um certo prazer em conquistar um campeonato mundial. Comecei do nada e de repente percebi que gostava muito de fazer isso”, contou em entrevista ao jornal Washington Post.

Testes físicos feitos no laboratório de fisiologia da Universidade de Limerick mostraram que Richard tem uma composição corporal de dar inveja a muitos jovens, com 80% de músculos e apenas 15% de gordura corporal. O coração, músculos e pulmões são comparáveis aos de alguém com menos da metade da sua idade.

Veja também:   ONU conclui que Malvinas estão em águas argentinas e reacende polêmica

Os resultados foram publicados na revista científica Journal of Applied Physiology em dezembro de 2023 como um estudo de caso.

Rotina de exercícios e dedicação

Richard se exercita todos os dias. As manhãs começam com cerca de 40 minutos de remo – são cerca de 30 quilômetros por semana. Duas ou três vezes por semana, ele também treina com pesos para melhorar a força, com exercícios de baixa e alta intensidade, usando halteres e repetindo cada movimento até que seus músculos cheguem à fadiga. Ele segue também uma dieta rica em proteínas.

Veja também:   Iranianas arrancam véu e fazem greve em protesto à morte de mulher

Enquanto remava no teste feito pelos cientistas, o pulso do idoso atingiu o pico de 153 batimentos por minuto, ultrapassando a frequência cardíaca máxima esperada para sua idade e ficando entre os picos mais altos já registrados para indivíduos na faixa dos 90 anos, indicando um coração muito forte.

“Foi um dos dias mais inspiradores que já passei no laboratório. É incomum ver um nonagenário em condições físicas tão primitivas”, lembra o professor Philip Jakeman, especialista em envelhecimento saudável, desempenho físico e nutrição.

Um estudo de 2022 publicado na revista Circulation mostrou que as pessoas que praticam atividades físicas vigorosas por 75 a 149 minutos por semana têm um risco 19% menor de morte por qualquer causa. As que treinam entre 150 e 299 minutos semanais correm um risco 21% a 23% menor.

Veja também:   Maduro diz que armará 1,6 milhão de milicianos

Para os que praticam atividades físicas moderadas durante 150 a 299 minutos por semana, a diminuição na mortalidade por todas as causas é de 20%.