Publicado às 10h desta sexta-feira (27)

O Instituto de Previdência Própria de Serra Talhada (IPPST) vem descobrindo esquemas de fraudes por parte de algumas pessoas que vinham recebendo os proventos de familiares mortos, e foram flagrados e desligados do sistema. A revelação foi feita pelo presidente da instituição, Jânio Carvalho, durante entrevista ao programa Falando Francamente, na TV Farol. Segundo Carvalho, o fato só veio à tona após o recadastramento obrigatório, que termina nesta sexta-feira (27).

“Tem uns casos que a gente descobre que tem pessoas que morreram, os filhos ou, algumas pessoas interessadas ou cuidadores ficam recebendo. Esta semana descobrimos dois. Uma servidora do INSS que eu gosto muito, que eu gostaria de agradecer aqui em público, Dona Edneide Nogueira, me ligou dizendo: ‘Jânio, fulano de tal morreu, ela era aposentada daqui e pensionista dai’. Quando fui ver, liguei para a família, alguns não quiseram atender, mas nós já descobrimos que ela faleceu. Já fui ao cartório, peguei a certidão de óbito e já suspendi o pagamento dela. Por isso que ela não tinha aparecido”, disse Carvalho, detalhando:

“Teve um que foi se recadastrar no nome de outro, por isso nós somos obrigados a fazer o recadastramento. Teve um familiar que foi se recadastrar em nome do pai, eu vi e disse: ‘Oxente e tu tem 75 anos? E ele disse: ‘não, eu vou aqui pegar um documento’, correu e não voltou mais. Fui ao cartório e vi que essa pessoa já faleceu também. Muitas pessoas estão vendo a dificuldade do país e às vezes querem continuar recebendo aquela pensão ou aquela aposentadoria dos seus pais”. Os fatos foram registrados na Delegacia de Polícia de Serra Talhada.

Veja também:   Adolescente marca com ferro nas costas o número de Bolsonaro

VEJA A ENTREVISTA COM JANIO CARVALHO SOBRE O ASSUNTO