Karol Conka bate e acusa homem de assédio em hotel cariocaDo Blog Social 1

Em um vídeo postado no seu Instagram, Karol Conka falou sobre um caso de assédio que presenciou em um hotel no Rio de Janeiro, nessa segunda (11).

A cantora relata que viu um homem, que provavelmente é estrangeiro, alisando o corpo de duas mulheres que estavam na área da piscina.

Revoltada, ela gravou um stories e contou o que houve. Segundo as publicações, a houve certa negligência da administração do local, o que a levou a dar uma tapa no rosto do acusado de assédio.

Veja também:   Bombeiros arrombam porta de casa e salvam jovem em ST

“Porr@, Brasil, a gente está no Sheraton, curtindo o final de trabalho pra chegar os gringo aqui e chamar as menina de put@ e passar a mão nela. É o dia inteiro, é todo dia isso, gente. Ó, gringo folgado! Agora eu acho que a medida que tinha que ser tomada pelo Sheraton é a seguinte: [Como] o cara passou a mão nas meninas, fez gesto obsceno, tira o cara do local, que está todo mundo curtindo, e vai resolver pra lá. Mas estão aqui, tranquilamente, só falta dar beijinho na testa do tarado. (…) Pra finalizar o desfecho do gringo folgado que vem ao Brasil e acha que toda brasileira é put@, a gerencia do hotel disse levou ele pra lá, não resolveu muito, quem teve que resolver fui eu e o pessoal aqui e acabei dando na cara dele. O pior é a galera justificar essa atitude ridícula dele falando que ele está bêbado, fora de si. Esses gringos tem que aprender, e todos vocês, caras folgados, que não importa se você bebeu ou não, tem que respeitar. Sabe o que foi pior? Quando dei na cara desse merd@, desse lixo, o segurança falava ‘não agrida’. Ah, então ele pode chegar aqui, passar a mão na menina, se masturbando, falando merda e eu não posso dar na cara desse lixo. Quando você se cala diante de uma situação de abuso ou agressão, você é cúmplice. Então quando você vir uma situação dessa, reaja, faça alguma coisa, não fique do lado do agressor, por favor”

Veja também:   Após 1 ano, Chiquinho Sorvetes conquista o coração de ST

Karol Conka em relato de assédio