Do UOL

Foto: Tamara Arranz/Divulgação

“La Casa de Papel” caminha para sua quinta e última temporada, que estreia na sexta-feira (3). É também a última chance dos fãs da série espanhola caçarem alguns detalhes que podem ter passado despercebidos nas temporadas anteriores, especialmente no cenário principal: o Banco da Espanha.

Splash participou de uma visita virtual a alguns cenários da série e descobriu segredos bem guardados dos bastidores. Já reparou nos retratos que decoram o longo corredor do mezanino do banco? Então repare. Tem muitas mensagens escondidas ali, inclusive uma homenagem a um dos personagens que deixou a série lá no começo.

“Temos o vereador Paco; uma homenagem ao falecido Moscou… Nós brincamos uns com os outros. Até meu rosto está por aí”, conta Abdón Alcañiz, diretor de arte de “La Casa de Papel”, lembrando o personagem de Paco Tous.

Ilusão de ótica

Há também muita ilusão de ótica nos cenários. A biblioteca, onde o bando costuma se reunir, é repleta de livros. Mas nem todos são de verdade.

“Nós escolhemos a cor de cada livro. Imagine meus colegas tendo que comprar livros pela cor em Madri.” Para facilitar o trabalho (e respeitar as leis da física) todos os livros do mezanino são falsos, assim como alguns da parte de baixo do ambiente.

E rola mais ilusão de ótica na hora das filmagens também. Muitas vezes a direção de arte tem que trabalhar duro para atender as ideias mais malucas dos roteiristas.

“Quando um roteiro diz: ‘Uma granada explode no elevador’. Tudo bem, perfeito. Mas o que acontece depois? Como produzir a ilusão de ótica de que o elevador explodiu? Erguendo uma plataforma, inclinando o elevador e construindo as paredes ao redor.”

Veja também:   Samu atrasa salários e servidor diz que teme fechamento em ST

O diretor de arte conta mais segredos, como os cenários interligados, que nem sempre seguem a mesma lógica que vimos na série.

“Eu criei e decorei um espaço como o banheiro. E de repente o banheiro tem que ter uma porta secreta. Nosso amigo Gandía entra no quarto do pânico por aqui. Na verdade, se você entrar por aqui, vai sair na sala do secretariado. E o cenário do quarto do pânico fica em outro lugar. São pequenos truques que fazemos na edição.”

Destruição total

Como já adiantamos por aqui, a quinta temporada de “La Casa de Papel” será “tiro, porrada e bomba”. O bando do Professor está encurralado no Banco da Espanha e a polícia invade para tirá-los de lá à força. Como será que é para um profissional ver um cenário que levou meses para construir completamente destruído?

Para Alcañiz, a destruição também faz parte de sua arte. “Pode mandar tudo pelos ares. É agressividade. Inclusive, o movimento artístico neoexpressionista promovia isso. A cor vermelha já transmite a ideia de raiva, paixão, loucura. Então… vamos nessa!”

Grande parte de “La Casa de Papel” é gravada em um estúdio da Netflix nos arredores de Madri. Por lá, três construtoras trabalharam simultaneamente para entregar os cenários de acordo com o cronograma da mega produção. Só da equipe de arte liderada por Abdón Alcañiz, são quarenta profissionais na equipe.

“La Casa de Papel” estreia os cinco primeiros episódios da nova temporada na sexta-feira (3). Os últimos cinco estão programados para 3 de dezembro.