Do Diario de Pernambuco 

Lewandowski manda guerra da vacina para análise do plenário do STFO ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Ricardo Lewandowski determinou que sejam enviadas para análise do plenário da Corte três ações sobre obrigatoriedade de vacinação contra a covid-19, ajuizadas por partidos políticos.

Ao frisar a importância da matéria e a emergência de saúde pública, o ministro determinou a aplicação do rito para análise direto no plenário, sem que haja decisão em caráter liminar do magistrado. Agora, cabe ao presidente Luz Fux pautar o tema.
Em um dos pedidos, da Rede Sustentabilidade, a legenda pontua que o presidente Jair Bolsonaro “desautorizou a assinatura do Ministério da Saúde no protocolo de intenção de aquisição da vacina CoronaVac, desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan, de São Paulo”.
Após o anúncio do Ministério da Saúde de que seriam adquiridas 46 milhões de doses da vacina, o presidente usou as redes sociais para dizer que não seriam adquiridas em resposta ao comentário de uma pessoa que escreveu: “Presidente, a China é uma ditadura, não compre essa vacina, por favor. Eu só tenho 17 anos e quero ter um futuro, mas sem interferência da Ditadura chinesa”.
A Rede afirma que a decisão era “por puro preconceito ideológico ou, até pior, por motivações estritamente políticas”. Lewandowski solicitou informações prévias ao presidente e o encaminhamento à Advocacia-Geral da União (AGU) e à Procuradoria-Geral da República (PGR).
Veja também:   Mais um vereador é infectado por Covid em ST