Líderes mundiais querem responder a ataqueDo Diario de PE

Um porta-voz do governo britânico afirmou que a primeira ministra Theresa May entrou em contato com os presidentes Donald Trump e Emmanuel Macron para conversar sobre o ataque químico que deixou pelo menos 21 mortos na região de Doma, na Síria, no último sábado (7).

Na conversa, os representantes teriam concordado que a comunidade internacional precisa responder ao ataque para manter a proibição global sobre o uso de armas químicas.

“Se for confirmado o ataque químico, isto representará uma nova evidência da terrível crueldade do regime de Assad contra seu próprio povo e o completo desprezo por suas obrigações legais para não utilizar esse armamento”, diz nota divulgada pela equipe de May e replicada pela Agência de notícias EFE.

Veja também:   Wilton Bello, Kakázinho e música eletrônica no roteiro de domingo; vale a pena conferir

Agora, os líderes devem trabalhar juntos com aliados internacionais para garantir a resposta dos responsáveis pelo ataque. Até o momento, o único país que garantiu responder de forma militar às mortes causadas por armas químicas foi os Estados Unidos.

Para supervisionar esta resposta americana, o presidente Donald Trump cancelou a viagem que faria à América Latina nesta semana.