Preocupado com o sumiço – já há duas semanas – de almas corajosas para defender o seu governo na Câmara Municipal, o prefeito Luciano Duque lançou uma espécie de campanha de “como ser o líder ideal”. Durante entrevista a rádio A Voz do Sertão AM, no início da semana, o petista desabafou, meio sem jeito, que “não acredita que não tenha alguém” com vontade de dar a cara a tapa para brigar em favor dos interesses do gestor.

Agindo com cautela e fazendo questão de medir as palavras para não assustar algum pretenso candidato, o prefeito fez questão de ser enfático sobre o que um líder do governo na Câmara Municipal faz. Para Luciano, o líder não defende o governo, mas os interesses do povo.

Ele rebateu a informação de que o antigo ocupante da função, o vereador Naílson Gomes (PSC), tenha saído insatisfeito com a falta de diálogo e simpatia do próprio prefeito e de seus “conselheiros diretos” perante os parlamentares. “Naílson, a mulher dele teve menino e o cabra sem dormir toda noite, cheio de pixilinga… Se coçando… Dando o leite do menino, aí ficou doido e deixou”, desconversou o prefeito.

– Mas está parecendo que ninguém quer assumir esse cargo, indagou o radialista.

– Será?, respondeu, com outra dúvida, Luciano Duque.

CAMPANHA: ENCONTRE UM LÍDER PRA MIM

Na ânsia em achar alguém com a coragem e talento suficientes para assumir a ardilosa postura de porta voz da sua gestão, Luciano fez questão de provocar os vereadores que se elegeram pela chapa governista em 2012. E disse que, caso nenhum deles queiram exercer a função, isso seria um prova de omissão perante a sociedade.

Indagado sobre se queria que o vereador do PT, Sinézio Rodrigues, pegasse o “pepino”, Duque tergiversou:

“Eu aceito quem quiser defender os interesses do povo. Porque ser líder do governo é isso. Defender interesse de governo é diferente. É ser propositivo, defendendo as políticas públicas do governo. Não acredito que não tenha alguém que não queira fazer isso. Até porque, todos eles (vereadores) que estão atualmente no grupo construíram uma pauta para a sociedade defendendo exatamente aquilo que queriam para Serra Talhada. E nenhum deles vai ser omisso em querer defender os interesses do povo”.