Fotos: Reprodução / Arquivo Pessoal

Publicado às 05h56 deste sábado (16)

“A vida do meu filho é um milagre”. O depoimento de uma mãe serra-talhadense emocionou centenas de pessoas que colaboraram com a vakinha online para ajudar Jeferson Kleidson Ferraz Barbosa, de 25 anos, filho de Ana Maria Ferraz e Gilson Nogueira, profissionais autônomos. Ele é um jovem que há anos luta por sua saúde e estava prestes a realizar uma cirurgia de emergência nos olhos para evitar perder completamente a visão. Em conversa com o Farol de Notícias, Ana Maria falou sobre uma nova esperança de tratamento para o rapaz.
Com a saúde frágil desde os 14 anos, quando contraiu uma bactéria e teve sua saúde degradada, Jeferson é paciente renal crônico, que realiza sessões de hemodiálise três vezes por semana, no SOS Rins de Arcoverde. Ele tem o coração e o baço aumentados, o que dificulta a inserção de seu nome na lista da fila de espera para receber um transplante de rim. Após um episódio de pressão alta e complicações passou mal e sofreu um deslocamento da retina nos dois olhos. Cerca de 7 dias depois perdeu quase 100% da visão do olho esquerdo.
DIAGNÓSTICO PREOCUPANTE
Ao Farol, Ana Ferraz detalhou que o filho passou por uma verdadeira saga entre a Fundação Altino Ventura  (FAV) de Serra Talhada e o de Recife para receber o atendimento que lhe diagnosticou com a necessidade de uma cirurgia de urgência. Uma vitrectromia, que na rede particular custa em torno de R$ 8 mil a R$ 22 mil reais em cada olho. Na FAV da capital pernambucana a previsão era de no mínimo 4 meses de espera em uma fila do SUS que não lhe daria certeza no procedimento.
“Pedimos apoio do Altino Ventura para que ele pudesse fazer hemodiálise lá em Recife, mas não foi possível tivemos que ir e voltar de Arcoverde em busca desses atendimentos. Após receber a notícia que teríamos que esperar no mínimo quatro meses e ainda sem a certeza da cirurgia, fomos pesquisar clínicas, pesquisar o procedimento e resolvemos lançar a vakinha para arrecadar o valor da cirurgia. E começamos a receber uma enxurrada de amor, de atenção e de solidariedade. No meio das pesquisas também descobrimos o IOR (Instituto dos Olhos do Recife), uma clínica particular. Fomos tentar uma consulta, e lá o médico falou que o diagnóstico foi precipitado, pediu mais exames e nos deu uma esperança”, relatou Ana, completando:

“O Dr. Marcelo, falou que seria possível tratar os olhos de Jeferson com medicamentos e colírios, além de controlar a pressão arterial dele e os problemas renais, ele poderia ter mais complicações com a anestesia e a cirurgia. Foi uma grande alegria para nós, porque a vakinha online nos ajudou a arrecadar cerca de R$ 8.200,00 e uma parte desse dinheiro foi, inclusive, utilizado para a consulta dele no IOR. Mesmo com o tratamento ainda temos uma boa parte e tudo será usado nos tratamentos de Jeferson, que toma muitos remédios controlados. Mas essa nova esperança nos deu um respiro”.

Veja também:   Limoeiro anuncia programação da festa de São João

GRATIDÃO

Ao final de uma conversa franca com a reportagem do Farol, a mãe de Jeferson agradeceu a união de diversas pessoas em uma grande corrente de solidariedade com a campanha. Segundo ela, os artistas serra-talhadenses abraçaram a causa, realizaram doações e divulgaram a campanha. Em um relato humilde e emocionado a Ana agradeceu a todos.

“Recebemos muito amor nessas últimas semanas, de pessoas desconhecidas, de amigos, familiares, dos artistas da terra que abraçaram a causa. E eu sou muito grata a todos, a cada um que abraçou essa campanha, para o que doou R$ 1 mil e para o que doou R$ 1,35. Me emocionei do mesmo jeito, que cada doação se transforme em luz, paz e amor para todos que doaram amor, doaram tempo, e doaram compartilhamentos. A vida do meu filho é uma benção de Deus, eu louvo a Deus todos os dias por ele e por toda a minha família”, finalizou.