Da ISTOÉ

Uma mãe de Ribeirão das Neves (MG) afirma que perdeu a guarda da filha após ambas terem ido a um ritual de Umbanda na cidade. A mulher, identificada como Liliane Pinheiro, de 37 anos, houve racismo religioso por parte da escola e do Conselho Tutelar. As informações são do jornal O Tempo.

A mãe da adolescente de 14 anos trabalha como faxineira e disse à publicação que recebeu recomendação médica para que a filha iniciasse tratamento neurológico em 2021, mas que tem guardado dinheiro para pagar uma consulta para a filha.

Ela alega que a filha passou a vivenciar a fé em um centro de Umbanda da cidade no início deste ano, onde já tinha sido frequentado por Liliane há alguns anos. A decisão da jovem foi descoberta na escola e, por conta das questões neurológicas, a menina sofreu um desmaio no local. Ao ser chamada, a mãe foi hostilizada.

A escola da jovem ainda acionou o Conselho Tutelar, que abriu chamado no Ministério Público de Minas Gerais. Por conta disso, Liliane perdeu a guarda da filha no dia 20 de maio. Depois de passar por um centro de acolhimento, a menina foi levada para a casa de uma irmã por parte de pai.

Procurados pela publicação, o Conselho Tutelar, a prefeitura de Ribeirão das Neves e a Vara de Infância e Juventude da cidade não se pronunciaram sobre o caso.

Veja também:   Idoso é espancado até a morte por três jovens, crime planejado por adolescente