Uma equipe dos Ministérios da Saúde, do Brasil e de Cuba, estiveram ontem (11) à tarde em Afogados da Ingazeira, inspecionando as unidades de saúde que receberão os médicos cubanos. Afogados deverá receber, até o final do ano, seis médicos cubanos dentro do programa Mais Médicos. O município foi um dos primeiros do Brasil a aderir ao programa.

Acompanhados do Secretário de Saúde, Gildázio Moura, eles visitaram unidades de saúde e a casa que está sendo disponibilizada pela Prefeitura de Afogados para acolher os médicos. Até o início do próximo mês, dois médicos chegam ao município para atender a população. Eles atenderão nas unidades de saúde do Borges e do São Francisco, em regime de 40 horas semanais, o que irá propiciar um aumento considerável do número de pessoas atendidas.

A vistoria foi realizada pelo médico Cubano Gilberto Ramos – coordenador do “Mais Médicos” em Pernambuco (representando o Governo de Cuba); e o assessor da Secretaria de Gestão do Ministério da Saúde do Brasil, Gileno Gomes. Após as visitas, eles tiveram um encontro com o Prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota. “Estamos saindo muito felizes daqui. As instalações são boas, a equipe excelente e o acolhimento da população será muito importante para o sucesso do programa aqui no município,” afirmou Gileno. Apesar de não querer gravar entrevistas, o médico Cubano Gilberto Ramos se declarou bastante satisfeito com o que viu e com o apoio incondicional do Prefeito Patriota ao programa “Mais Médicos”.

“A população não pode ficar refém de um pequeno grupo de médicos que fazem leilão pra ver qual Prefeitura dá mais pelo seu passe. Tínhamos médicos que davam apenas três horas de expediente por semana. Os médicos de Cuba darão expediente de 40 horas por semana, como qualquer trabalhador brasileiro. Isso vai melhorar e ampliar o nosso atendimento à população nas unidades de saúde,” avaliou Patriota.

Segundo o Secretário Gildázio Moura, os médicos Cubanos passaram por uma intensa bateria de capacitações sobre o nosso idioma e a nossa cultura para familiarizarem-se com a nossa realidade. Ele destacou também a qualidade do serviço que será prestado. “Cuba é o berço do programa de saúde da família. Foi lá que ele foi idealizado, implantado e exportado com sucesso para o mundo. É como se fosse um reencontro,” destacou Gildázio.