Mais um trem com carga tóxica descarrila nos EUA

Do G1

Um trem descarrilou nesta quinta-feira (16) na cidade de Van Buren, no estado de Michigan, nos Estados Unidos.

A composição levava materiais tóxicos.

As autoridades locais pediram para que as pessoas evitem a região onde houve o acidente, ainda que, de acordo com a polícia, não há evidência de que os vagões com materiais tóxicos tenham sido atingidas.

A polícia também afirma que ninguém ferido.

Primeiro descarrilamento

No dia 3 de fevereiro, um trem descarrilou perto da divisa entre Ohio e Pensilvânia, causando um grande derramamento de cloreto de vinila, uma substância altamente inflamável e cancerígena. O acidente e o vazamento da substância obrigaram milhares de pessoas a saírem de suas casas, que agora temem retornar.

Veja também:   Homem é condenado por chamar mulher de 'louca'

A substância pegou fogo e liberou uma enorme coluna de fumaça preta e tóxica no ar. Imagens gravadas logo após o acidente mostram o tamanho do incêndio.

Entenda o que aconteceu:

Um trem com 150 vagões descarrilou em Ohio no dia 3 de fevereiro.

Cerca de 50 vagões saíram do trilho, sendo que 20 desses carregavam materiais perigosos.
O acidente causou o vazamento de cloreto de vinila, material que explodiu, pegou fogo e liberou uma enorme coluna de fumaça preta no ar.

O cloreto de vinila é um material altamente inflamável e cancerígeno, que pode ser mortal, causar queimaduras ou, se inalado, sérios danos ao pulmão.

Veja também:   Seis em cada dez crianças vivem na pobreza

Cerca de 2 mil pessoas, num raio de 1,6 km do acidente, tiveram que sair de suas casas.
Três dias depois, equipes de emergência atuaram para liberar a substância de 5 vagões que não vazaram ou queimaram no acidente.

Essa liberação envolveu uma explosão e a queima controlada do produto, gerando novamente uma enorme coluna de fumaça.

A Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos acompanhou o trabalho e declarou que o impacto ao meio ambiente foi mínimo, mas que seguem monitorando o ar e a água da região.

Veja também:   PM na busca por suspeito de estupro e homicídio

O governo local liberou as famílias a voltarem para suas casas, mas muitas estão com medo de se intoxicarem.