A 'dama de ferro' vai à reeleição, mas não pode ser 'blogueirinha'Por Paulo César Gomes, Professor, historiador e colunista do Farol

Eu em minhas crônicas semanais tenho definido a prefeita de Márcia Conrado como “a dama de ferro”, alguns gostam outros não, mas em um ciclo político dominado por homens, ela tem se mostrado forte. Claro que isso não é um atestado de que a gestão ainda está bem. Pelo contrário. A máquina precisa de ajuste com urgência, com menos bajuladores e mais trabalhadores.

O resultado das eleições de 2022 colocou Márcia em um estágio bem acima do normal, e ela topou seguir esse caminho. As vitórias fizeram com que parte da oposição pulasse no ritmo das “frenéticas”. Cargos foram criados, e tudo ia às mil maravilhas desde que a eleição seria vencida por “WxO”, mas a política tem seus mistérios, e de repente a prefeita enfrentou um duro protesto de professores, servidores e contratados.

Veja também:   CRIME: Polícia prende, nesta segunda, mais um acusado de assassinato em Serra Talhada

Ao mesmo tempo em que as chuvas castigavam a população da zona urbana e rural. Por uma orientação de muita infantilidade, os secretários foram proibidos de falar com o Farol de Noticias. No entanto, isso não conteve a vontade dos moradores de se manifestarem e expuseram suas demandas justamente no Farol.

E A OPOSIÇÃO?

Na esteira desse processo “o gatilho da Oposição foi acionado”. O deputado Luciano Duque anunciou a ruptura com a prefeita, em seguida, uma penca de vereadores, secretários e lideranças populares seguiram os passos de Duque. Paralelamente, o ex- deputado Sebastião Oliveira assumiu publicamente que não apoia Márcia e começou a mexer as suas cartas no jogo político.

Veja também:   MPCO questiona Márcia sobre R$ 1 milhão a Gusttavo Lima

E A VICE?

A ‘dama de ferro’ tem agora um grande desafio, escolher um vice, que para mim seria uma vice: a presidente da FETAPE, Cícera Nunes, mulher da zona rural, conhece todos os atalhos do município. Seria a pessoa certa para minar as forças adversárias de Duque e Sebastião.

Enquanto isso, Márcia iria resolver “os pepinos” que atingem a cidade, a começar pela negociação com os servidores da educação e outras categorias. Se ela não reverter esse quadro será derrotada como outros prefeitos foram. Sem contar que o período das chuvas se aproximam e os problemas de débitos com prestadores de serviços parecem que uma bola de neve.

Veja também:   Novo delegado de ST prioriza solução para mortes

Nesse cenário a oposição vai crescer ainda mais, e as redes sociais não serão capazes de reverter. Uma dama de ferro não pode ser comparada a uma ‘blogueirinha’, essa fase passou agora é hora de colocar as sandálias nos pés e o chapéu na cabeça e trabalhar. Porque se bobear, os velhos jogadores Luciano Duque e Sebastião Oliveira tomam essa prefeitura no ritmo dos “embalos de sábados”, bem ao estilo Tony Maneiro.