Maria Edelzuita, estudante de 94 anos, recebe medalha
O impacto da estudante foi tão forte que outros idosos da sua região decidiram retornar aos estudos após conhecer sua história (Foto: Filipe Jordão/SEE)

Do Diário de PE

A estudante da educação básica, Maria Edelzuita, de 94 anos, recebeu uma medalha da Secretaria de Educação e Esportes de Pernambuco (SEE). A entrega foi feita nesta terça-feira (12), no Centro de Educação de Jovens e Adultos (CEJA) Poeta Joaquim Cardozo, em Tejipió, Zona Oeste do Recife.

Maria Edelzuita se destaca pela força de vontade e resiliência ao voltar para escola com mais de 90 anos de idade, comprovando que nunca é tarde para recomeçar. Atualmente ela estuda no Centro de Educação de Jovens e Adultos João Barracão, em Petrolina, no Sertão do Estado.

Na cerimônia, a estudante deu uma aula de inspiração e perseverança, incentivando os jovens a não abandonarem os estudos. “Educação é o caminho. É a educação que comanda o Brasil. Vocês não deixem a escola, porque na escola tem tudo: tem lanche, tem conhecimento, tem camaradagem. Aqui vocês podem ser educados, conhecer as coisas e conseguir um bom emprego. Sem educação, sem ler, ninguém se emprega, não. Na escola vocês aprendem tudo isso”, afirmou.

Veja também:   Como Jogar Blackjack Online para Diversão

Maria Edelzuita mantém um boletim exemplar e tem o sonho de cursar Enfermagem para trabalhar em hospitais cuidando de idosos.

A entrega da medalha Maria Edelzuíta é uma ação da Gerência de Políticas Educacionais de Jovens, Adultos e Idosos (GEJAI) e da Gerência Geral de Políticas Educacionais da SEE. “A partir deste ano, a ideia é de que uma pessoa que tem envolvimento, que trabalha, que promove a Educação de Jovens e Adultos vai ser selecionada para receber a medalha, seja essa pessoa um estudante com mais de 60 anos que se destaque no seu processo formativo ou uma personalidade relevante por seu trabalho voltado para este público no Estado de Pernambuco”, explicou Jeane Tenório, gerente de Políticas Educacionais de Jovens, Adultos e Idosos.

Veja também:   CULTURA: Governo do Estado incrementa em mais de 700% as edições do Funcultura

A aluna serviu de exemplo para outros idosos da região onde mora e fez com que eles decidissem voltar aos estudos e realizar o sonho de se formar. “Os estudantes do CEJA mudaram a postura depois que ela começou a frequentar a escola. Passaram a frequentar mais, a ter mais empatia, a respeitar o próximo”, ressaltou Dulceneide Bezerra, técnica da Unidade de Acompanhamento de Jovens e Adultos e Correção de Fluxo da Gerência Regional de Educação (GRE) Sertão do Médio São Francisco.

História de Maria Edelzuita 

Filha de lavrador, Edelzuita foi proibida de estudar, uma vez que seu pai tinha receio que ela fosse alfabetizada, pois assim poderia escrever “cartas para os namorados”. Já a mãe, cuidava da casa e era letrada. Assim, ensinou-lhe as letras, as sílabas e como juntá-las para formar pequenas palavras. Mas isso foi a única coisa relacionada aos estudos deixada para a estudante.

Veja também:   Servidora denuncia mais uma falta de repasse de consignados em ST

A aluna começou a estudar em 2022, aos 93 anos, uma vez que não pôde entrar na escola quando criança. Somente após perder o companheiro, com quem viveu 60 anos, que ela decidiu resgatar seu sonho de menina e se matriculou na escola.

No entanto, os sonhos de Maria Edelzuita não param por aqui. Ela ainda pretende escrever um livro e ingressar em uma faculdade. A estudante dedicou a vida ao companheiro e aos nove filhos, todos formados no Ensino Médio.