Estudante foi estuprada após ter sido morta, conclui inquérito

Foto: Reprodução internet

Por Metrópoles

 

A Polícia Civil do Piauí concluiu o inquérito sobre a morte de Janaína Bezerra, 22 anos, aluna de jornalismo da Universidade Federal do Piauí (UFPI), assassinada e estuprada após uma calourada. Segundo o relatório, a jovem sofreu violência sexual quando já estava morta. O mestrando Thiago Mayson, 28, autor do crime, fez fotos da vítima enquanto ela sangrava, ainda com vida.

Os investigadores indiciaram Mayson pelo crime de homicídio duplamente qualificado por dolo eventual. Foram consideradas qualificadoras o emprego de meio cruel (a vítima foi morta por asfixia e teve o pescoço quebrado) e o feminicídio.

Veja também:   Homem é suspeito de violentar filha de 3 anos

Além do homicídio qualificado, ele também pode responder por estupro, vilipêndio de cadáver e fraude processual, por ter tentado ocultar provas do crime.

“A partir da análise das imagens que ele teria registrado, muito possivelmente por volta das 5h a vítima já estava em óbito. No video registrado entre a 1ª e a 2ª violência sexual, ela ainda estava com vida, mas visivelmente em situação de vulnerabilidade, já suja de sangue. A gente já sabe que houve uma violência sexual e ele não satisfeito cometeu outra”, disse a delegada Nathália Figueiredo em entrevista ao G1.

Veja também:   Vereador cobra merenda de qualidade e faz críticas ao salário do professor em ST

Relembre o caso

A Polícia Civil do Piauí informou que a estudante de jornalismo morreu após ter sido estuprada e ter o pescoço quebrado depois de participar de uma calourada na UFPI, em 28 de janeiro.

O estudante de mestrado da UFPI Thiago Mayson Barbosa, 28, afirmou em depoimento que teve relações sexuais de forma consensual com a jovem.

Um laudo do Instituto de Medicina Legal (IML) do estado, no entanto, apontou indícios de violência sexual contra a vítima.