Especialistas na produção de mel, os apicultores das regiões dos municípios de Araripe, Pajeú e Moxotó, em Pernambuco, já podem prever o aumento da capacidade de produção e comercialização do produto. Três casas do mel estão sendo instaladas nas comunidades rurais de Afogados da Ingazeira, Araripina, Inajá, Moreilândia e Santa Filomena. O projeto é parte do programa ‘Rotas da Integração Nacional’ e recebeu investimento de mais de R$ 5 milhões, que vão atender a cerca de 210 famílias do sertão pernambucano.

Administrados pela Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR), do Ministério da Integração Nacional, os recursos foram repassados para a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba (Codevasf) que, por sua vez, é a responsável pela capacitação e estruturação do projeto junto aos apicultores. “Já foram executadas 85% das obras. Nossa expectativa é que, nos próximos 45 a 60 dias, elas estejam concluídas. Será um incremento de 200 toneladas anuais na capacidade de produção apícola desses cinco municípios”, explica o engenheiro agrônomo da Codevasf, Antônio Paulo.

Após a entrega das casas do mel, os beneficiários receberão capacitação empresarial, cursos de técnicas de apicultura, além de 500 kits com material apícola, como colmeias, suportes indumentárias, botas e luvas. Mais de dois mil produtores serão beneficiados.

De acordo com o coordenador geral de programas sub-regionais da SDR, Marcos Sant’Ana, o projeto visa a inclusão socioeconômica das localidades, nos mercados nacionais e internacionais de produção, consumo e comercialização. “Nosso objetivo é gerar oportunidades econômicas e sociais para o desenvolvimento dessas regiões, levando em consideração as realidades e o potencial de cada uma delas”.

Rotas da Integração Nacional – Criado pela Secretaria de Desenvolvimento Regional (SDR), o programa “Rotas da Integração” tem como objetivo a estruturação da cadeia produtiva e a integração econômica das regiões menos desenvolvidas do país. Composto pelas rotas do Cordeiro, da Economia Criativa, das Frutas, da Mandioca, do Mel e do Peixe, o projeto contempla também as centrais de comercialização de produtos oriundos das respectivas cadeias produtivas, contribuindo para a consolidação das redes de Arranjos Produtivos Locais (APLs), um dos principais objetivos da Politica Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR).

Veja também:   Vítimas da Telexfree ressarcidas em PE